Notícias

Campanha Outubro Rosa

Entre 2020 a 2022, o Brasil poderá ter 66.280 mil novos casos de câncer de mama por ano, segundo a pesquisa divulgada pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) em fevereiro de 2020.
O assunto é comum entre as brasileiras, mas ainda não despertou nelas a necessidade de fazer o autoexame e de buscar um acompanhamento médico anual. “Informações distorcidas”, “medo do diagnóstico” e “dificuldades de acesso” foram os principais resultados identificados no levantamento realizado pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), em março de 2020.
Por meio de questionários online, o estudo identificou que praticamente todas as entrevistadas já ouviram falar sobre a doença, porém a maioria acredita que o histórico familiar (95,7%) é o principal fator de risco. Isso preocupa os profissionais da saúde, porque apenas 10% a 20% dos casos são hereditários ou têm uma história familiar próxima. Quando se fala em diagnóstico da doença, o exame de mamografia foi o mais mencionado (82,6%), entretanto 59,3% das mulheres acreditam que o autoexame é a melhor forma de identificar um tumor.
Segundo a SBM, em 2019, apenas 40% da capacidade de mamografias, no Brasil, foi utilizada. Embora o público feminino reconheça que a mamografia é o melhor meio para identificar a doença, apenas 46,2% delas realizam o exame ao ano, enquanto que 27% nunca fizeram, sendo os principais motivos alegados:

- Dificuldade de acesso (64,9%)
- Medo de encontrar alguma coisa (54,5%)
- Não sabem como se detecta (54%)
- Demora para agendamento de consulta (45,6%)
- Experiências negativas em exames (34,2%)


A Femama (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) lançou para o Outubro Rosa 2020, a Campanha de Mobilização Nacional sobre o Câncer de Mama com três perguntas simples e objetivas, você conhece quais são elas?

Você tem observado suas mamas?
O autoexame é uma técnica que ajuda na identificação da doença, porém não elimina a necessidade de exames complementares. Ao realizar o autoexame, atente-se aos sinais:
• Secreção escura;
• Pele enrugada;
• Inchaço e vermelhidão;
• Nódulos aparentes;
• Feridas.

Você já marcou seus exames anuais?
Tanto o médico ginecologista, quanto o mastologista auxiliam nos exames de prevenção do câncer de mama e a mamografia é a principal forma de detecção precoce da doença. A SBM recomenda a mamografia de rastreamento anual a partir dos 40 anos para mulheres de risco habitual e a partir dos 30 para aquelas que apresentarem alto risco. Já a mamografia diagnóstica, solicitada para elucidação de alterações palpáveis, pode ser realizada em qualquer idade se necessário. Além disso, em casos específicos, o rastreamento com ressonância magnética e exames genéticos também podem ser necessários para avaliar os riscos.

Você conhece seus fatores de risco?
• Incidência de câncer de mama na família;
• Obesidade e sedentarismo;
• Tabagismo;
• Ingestão de bebida alcoólica;
• Menopausa tardia (após os 55 anos);
• Primeira gravidez após os 30 anos;
• Uso de contraceptivos orais e terapia de reposição hormonal pós-menopausa;
• Exposição à radiação ionizante;
• Fatores hereditários.

Prevenção
Antecipe seus exames
Se sua mãe, avó, tia ou irmã tiveram câncer de mama, é importante realizar uma avaliação especializada e, nestes casos, é possível antecipar a idade para fazer os exames.

Adote hábitos de vida mais saudáveis
Pratique atividades físicas regularmente, fuja do sedentarismo e tenha uma alimentação balanceada.

Tire dúvidas
Segundo a Femama, a paciente tem até 95% de chances de cura quando for diagnosticada e tratada precocemente.

Outubro Rosa
Outubro é conhecido mundialmente como o mês marcado por ações em prol da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, objetivo principal do movimento. O nome da campanha remete à cor do laço rosa lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, nos anos 90, que simboliza essa causa. Desde então, o mês é celebrado anualmente, com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença.

Cascavel Rosa
Resultado de uma história de amor, coragem e esperança a Associação Cascavel Rosa é uma fundação sem fins lucrativos, que atua há oito anos em prol da garantia da saúde da mulher e principalmente na luta contra o câncer de mama. A entidade tem título de Utilidade Pública Estadual e desenvolve um trabalho importante pela saúde feminina e também abraçou a saúde masculina por meio das ações do Cascavel Azul. Embora o auge das campanhas tenha maior destaque no Outubro Rosa e Novembro Azul, as atividades são realizadas pela associação durante o ano todo, como eventos beneficentes, mutirões de saúde, palestras e bazares solidários. Parte da verba e arrecadações é revertida para instituições que combatem o câncer.

Diretoria da Associação Cascavel Rosa
Gestão 2020 - 2022

Presidente:
Maria Arnete Kaefer 
 
Vice-Presidente:
Mairi Lourdes Marschall

Protocolo:
Justina Inês Ranzolin Penso

1ª Tesoureira:
Vera Maria Baccin Berto

2ª Tesoureira:
Noemia Calixto Pereira

1ª Secretária:
Catarina Tizu Tanabe

2ª Secretária:
Emidia Toso

Conselho Consultivo:
Gerti Schafer Berto,
suplente: Jane Terezinha Giuliani.
Lindones Gongoleski,
suplente: Gina Maria Mezzomo Prati.

Conselho Deliberativo/ Fiscal:
Regina Trivelato,
suplente: Valdaci Tonello Pörsch.
Sandra Inês Lopes,
suplente: Doraney Aparecida Barbosa
Geraldo.
Gerti Shafer Berto,
suplente: Jane Teresinha Giuliani.