Notícias

“Plasma convalescente para pacientes críticos com COVID-19”

O surto de coronavírus 2 da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2) tornou-se uma pandemia. Até o momento, nenhum tratamento específico se mostrou eficaz. Resultados promissores foram obtidos na China, Europa e EUA usando plasma hiperimune de pacientes recuperados da doença. Experiências anteriores em SARS e Influenza grave sugerem que o Plasma Convalescente (PC) pode ser considerado para pacientes que estão se deteriorando (apesar de outra terapia específica e de suporte) e nos quais o vírus permanece detectável; e a administração o mais cedo possível no curso da doença, até 10 dias do início dos sintomas respiratórios, parece estar associada ao maior efeito clínico potencial.
O uso do PC no tratamento de pacientes críticos da COVID-19, tem  demonstrado o potencial terapêutico do PC no tratamento da síndrome respiratória grave (SARS) pela COVID-19 com relação a melhora e prognósticos como tempo para extubação, tempo de permanência na unidade de terapia intensiva, o tempo para desmame da oxigenioterapia ou ventilação mecânica, a carga viral e a resposta imune.
Baseado nos estudos, além de estarmos no contexto socioeconômico e de saúde atual com a pandemia da COVID-19, o plasma convalescente de pacientes que se recuperaram da infecção da COVID-19 pode ser utilizado como tratamento sem a ocorrência de eventos adversos graves. Consequentemente, vale a pena testar a segurança e a eficácia da transfusão de plasma convalescente em pacientes infectados com SARS-CoV-2 seguindo a avaliação criteriosa da pesquisa, mesmo no contexto de um surto que nos assola neste momento.


Médicos do Hospital do Câncer Uopeccan de Cascavel se uniram para trazer melhorias no tratamento dos pacientes acometidos com o coronavírus


Como você pode ajudar?
Sendo um doador de plasma ou apoiando com recursos financeiros


Os custos para o projeto “Plasma convalescente para pacientes críticos com COVID-19” são altos, totalizando R$ 57 mil, entre material de consumo, exames, equipamentos e material permanente, para o tratamento de 10 pacientes. Por isso, será fundamental a solidariedade da comunidade, voluntários e empresários, para auxiliar no desenvolvimento da pesquisa clínica. “Os gastos são expressivos, os materiais para coleta do plasma são caros. A máquina aférese utilizada para coleta das células na Uopeccan vai precisar ser trocada para atender as atuais necessidades. O projeto conta até o momento com 35 inscritos de doadores voluntários de plasma. Foram realizadas entrevistas de triagem com sete doadores e feito a coleta de uma doadora B positivo, beneficiando um paciente. “O processo da coleta está adiantado principalmente para os tipos sanguíneos A e O. É importante que as pessoas que já tiveram a covid-19 confirmada e recuperada, e sem sintomas há pelo menos 14 dias, sejam voluntárias, pois continuamos em busca de doadores de plasma”, explica o coordenador da pesquisa clínica, Dr. Ademar Dantas da Cunha Júnior.

• Os interessados que já tiveram a doença, podem entrar em contato com o Centro da Pesquisa da Uopeccan pelo telefone (45) 2101-7453 e fazer o cadastro.

• Para ajudar financeiramente realize sua doação na seguinte conta bancária:
Banco Itaú
Conta Corrente: 726-1
Agência: 3946
CNPJ: 81.270.548/0001-53

O Uopeccan também está com mais duas pesquisas em andamento: câncer de tireoide refratário a iodoterapia e tratamento com imunoterapia adjuvante em hepatocarcinoma