Saúde da criança

Epistaxe na Criança

O sangramento nasal é uma situação frequente, principalmente em crianças. Quem de nós, em alguma época da vida, não teve um sangramento do nariz? Para cumprir as suas funções de umidificar e aquecer o ar captado da atmosfera, o nariz possui uma extensa vascularização na sua mucosa. No septo nasal em sua porção anterior há uma região altamente vascularizada e sujeita à microtraumas (Plexo de Kiesselbach) onde acontece a maioria das perdas sanguíneas nasais, usualmente devido ao modo de assoar o nariz, de coçar ou mesmo de colocar o dedo no nariz, ou consequência de trauma, que pode ocorrer em choque acidental, queda, brincadeira mais forte, bolada, entre outros. Também pode ser um acontecimento totalmente espontâneo. Pacientes em uso de “spray nasal” com sangramento repetido devem ser alertados para a possibilidade de má técnica na aplicação da medicação.

O que se sente?
Em princípio não há outra queixa além do próprio sangramento. A quantidade de sangue que sai do nariz, mesmo de uma criança pequena, é difícil de ser avaliada. A medida do volume de sangue perdido é altamente prejudicada pelo simples fato do sangue, mesmo em pequenas quantidades, ser capaz de produzir grandes manchas em panos, gazes, etc. O que dá uma impressão de gravidade, aumentando, assim, a angústia e preocupação dos pais e pessoas próximas à criança. Felizmente, esta situação raramente é uma ameaça à saúde e, portanto, pode ser conduzida com tranquilidade.

Quando procurar o médico?
• Se o sangramento ocorrer após uma batida na cabeça;
• Sangramento por mais de 15 minutos;
• Quando se torna muito frequente;
• Se o sangramento causar dificuldade para respirar;
• Ocorrendo sangramento simultaneamente em outros lugares: pele, articulações, gengivas;
• História de doença hemorrágica (sangramento) na família;
• Sangramento pelas duas narinas;
• Se houve introdução de corpo estranho e suspeita de fratura.

O que devo fazer?
• Manter-se calmo e tranquilizar a criança em posição sentada;
• Pressionar a narina sangrante contra o septo nasal por 10 a 15 minutos;
• Pode ser introduzido na narina um chumaço de algodão, mantendo a pressão;
• Não permitir que a criança deite de costas, para evitar que o sangue se aspirado, possa provocar tosse e ou vômitos;
• Manter a criança em repouso por várias horas após cessar a hemorragia;
• Controlar a umidade do ambiente: o ar seco aumenta a possibilidade de voltar a hemorragia;
• Evitar o manuseio ou a higiene do nariz por um bom tempo para permitir a cicatrização, sendo que uma cicatrização total dos vasos pode levar de 7 a 10 dias.

Fonte: Dr. Ércio Oliveira (†) - Era Membro especialista em Pediatria e Habilitação do Adolescente pela Sociedade Brasileira de Pediatria.