Variedades

Em comemoração ao Dia do Médico, palestrante Arthur Igreja fez público refletir sobre inovação na Medicina

Você piscou e uma nova tecnologia surgiu. Piscou de novo e essa mesma tecnologia já está quase defasada. Que revolução é essa que não mexe só com os aparelhos eletrônicos em si, mas muda hábitos, comportamentos e altera habilidades que precisamos ter em cada profissão? Em uma área que lida diretamente com a vida de todos, como é a Medicina, a inovação tecnológica traz um imenso impacto. E foi sobre isso que o palestrante Arthur Igreja falou durante o evento, no anfiteatro Emir Sfair, promovido pela Associação Médica de Cascavel, em comemoração ao Dia do Médico (18 de outubro).

Autor do livro sobre inovação “Conveniência é o nome do Negócio”, Arthur Igreja também tem milhões de seguidores em suas redes sociais. Em sua palestra “Inovação em Saúde”, o público refletiu sobre como os profissionais da saúde devem lidar com as alterações velozes. “A tecnologia está mudando os modelos de negócio, as empresas, a maneira de atender os pacientes, de interagir com os colaboradores, além de interferir na atuação do médico. E, de modo geral, o ser humano tende a ter uma reação mais refratária quando não entende do assunto. O ponto de partida então é desmistificar, simplificar e entender que essa mudança é boa, é nossa parceira. A tecnologia não exclui pessoas, essa é uma visão míope. A tecnologia é fria, precisa do tato, precisa do contato humano”, comenta Arthur.

“As mudanças exigem pensamentos diferentes e irá sobreviver quem melhor se adaptar aos novos tempos. Muita gente tem se assustado com o próprio presente, com tudo o que a tecnologia tem trazido para o nosso dia a dia. Rejuvenescer é necessário”, disse o palestrante.

“Em todos os sentidos, no trabalho, na família, na sociedade. Para essa verdadeira “corrida”, duas coisas são necessárias: comunicação e adoção tecnológica. Quem via a saúde como um todo e a medicina pelo retrovisor, deve buscar o que ele chamou de pontos de contato. As empresas de tecnologia estão investindo em massa em saúde, que está ficando cara e individualizada. Existem processos intensos de terceirização de equipes e equipamentos no chamado primeiro mundo. Eles balizarão, também, a saúde e a medicina feita em países periféricos, como o Brasil.

Empresas como Amazon, Walmart Health, a própria Apple estão montando seus sistemas de saúde e suas clínicas nos EUA e na Europa. A IA – Inteligência Artificial – tem catalogado e feito análises de dados das 17 mil doenças mais prevalentes no mundo. Em breve, uma gota de sangue apontará os resultados de exames mais necessários para cada comunidade ou indivíduo, conforme dados obtidos em diversas fontes primárias e algoritmos. Uma questão importante foi colocada: como tratar os “novos vícios” proporcionados pela dependência das redes sociais”? Outra questão: a segurança das informações. É preciso evitar o vazamento de dados. Hoje, o segmento de saúde é o que mais sofre ataques de hackers”, declara Dr. Márcio Couto, que prestigiou o evento atentamente.


Antes de encerrar a palestra, Igreja também enfatizou sobre a necessidade de equilíbrio, de oxigenar a carreira, das competências necessárias em um período de mudanças, sobre comportamentos pós-pandemia, adaptabilidade ao novo e como praticar a humanização apesar do uso intensivo da tecnologia.

 

Arthur é palestrante em mais de 150 eventos por ano como o TEDx no Brasil, Europa, Estados Unidos e América do Sul.
É cofundador da plataforma AAA com Ricardo Amorim do Manhattan Connection. Além disso, Igreja possui Masters in International Business nos EUA pela Georgetown University, Corporate Masters of Business Administration na Espanha pela ESADE, Mestrado Executivo em Gestão
Empresarial pela FGV/EBAPE, certificações executivas em Harvard & Cambridge, pós-MBA em Negociação pela FGV e MBA pela FGV/Ohio University.