Bem-Estar

Sonhar acordado

Vivian Porto - Psicóloga Clínica

“Seus maiores bens são seus sonhos” - Nietzsche

“Cinderela, que um dia havia sido nobre (agora serviçal), ouviu de sua mãe na sua infância, muitas histórias sobre os nobres, sua cultura e ideais bem como suas festas, e ela sempre sonhava em revê-los e participar dos bailes no palácio. As filhas da madrasta, que não nasceram nobres, mas agora a situação era favorável, poderiam ir ao baile, entretanto sem o sonho, tendo como objetivo: a ganância pelas riquezas do palácio. Uma noite, as três foram ao baile no palácio: Cinderela e as irmãs. Duas com o objetivo de ser rica e somente uma com o sonho de encontrar o príncipe e, por isso, pôde ter sua realização.”

Você já sonhou acordado(a)?

Todas as pessoas sonham acordadas, e os sonhos são os mais variados possíveis, interessantes, engraçados, ambiciosos, ousados, caridosos, amorosos, impossíveis. Algumas pessoas, inclusive, vivem sonhando acordadas a vida toda. Sonhar acordado não tem idade, não é mesmo?

É muito prazeroso e terno ler as cartinhas enviadas para o Papai Noel, as crianças singelamente fazem uma confissão, colocando suas “boas” ações no papel. Elas confessam: que estudaram, que não falaram palavrão, que obedeceram à mamãe, que ajudaram o papai, que fizeram travessuras. E, então, se acreditam merecedoras do presente desejado, o seu sonho. As cartinhas chegam ao correio. É comovente ler e, às vezes, a criança pede uma cesta básica, pois a família é carente. E ela acredita que um dia as coisas irão melhorar e sonha que vai trabalhar e comprar tudo o que quer, e que esse dia está próximo. E isso pode acontecer, dependerá de como ela vai propiciar condições para que essa ideia saia da cabeça, tornando-se seu objetivo e, com a tomada de atitudes, transporte-a para a realidade.

O sonho acordado nasce na imaginação e é o responsável por nossas aquisições, por nossas buscas e pelo que alcançamos ao longo da vida. Fazemos uma imagem na nossa “tela mental” e acabamos por dar corpo, consistência a essa imagem.

“Eu sonhava em ser enfermeira quando criança, até o dia em que vi sangue e rapidinho mudei de ideia, depois disso sonhava em ser professora e consegui.”

Mas como acontece esse fenômeno? Basta pensar, sonhar, fazer uma imagem e as coisas se realizam? Tenho para dizer que não é tão simples assim. Na realidade, as coisas só acontecem se houver interferência concreta para tal. O sonho poderá levar a uma projeção futura de excelentes situações, e tem tamanho grau de importância que o destino do ser humano depende do tamanho de seus sonhos. Também não foi fácil para a Cinderela. Submetida a maus tratos, ela manteve os princípios necessários para a realização do seu sonho, cultivando amiguinhos, bom humor, disposição para o trabalho, linda e de afinada voz, sendo humilde, sensível, amorosa, mansa e sentindo esperança. Itens indispensáveis a uma princesinha. E no dia determinado, reúne todas as suas forças para construir situações favoráveis à participação do evento e corajosamente partiu para a missão. Devo ressaltar que, por piores que tenham sido os serviços prestados a ela, bem como o tratamento pessoal que recebia da madrasta, nada diminuiu sua autoestima. Ela sabia quem era e não necessitava que lhe dissesse. Era inteira com ela mesma, apesar de estar num ambiente desfavorável.

Essa é a história de todos e todas as princesas e príncipes do nosso cotidiano, da vida difícil, das injustiças sociais, das dificuldades financeiras.

Bem, amigos, vocês podem então imaginar que é necessário “fazer” com que o sonho se realize, buscando os meios para tal, pois os êxitos acontecem “fora” da imaginação. É esse o segredo. O problema é que muitas pessoas têm sonhos de juventude que guardam na caixinha de coleções de sonhos não realizados.

E deixam tudo lá, acreditando que um dia eles se realizarão sozinhos. Mas não fazem a sua parte para que aconteçam, e com o passar dos anos desesperançados dizem: que a vida é isso mesmo, que não era para ser, que ninguém ajudou.

São nossos sonhos, nós não devemos abrir mão deles, pois abandonaremos também a nossa capacidade de transformá-los em realidade.

Vamos trabalhar agora: faça uma lista dos seus grandes sonhos na vida e sublinhe os que você conseguiu realizar. Quantos ficaram somente na imaginação? Você abandonou alguns no meio do caminho? Por quê?

Lembre-se de que estamos no fim do ano, e você tinha ao menos um sonho em janeiro. Está realizado ou encaminhado, ou já começou a traçar roteiros para realizá-lo? Você está esperando “uma mãozinha” ainda?
Esperando o momento cair do céu? A virada de mais um ano? Qual a condição que você está colocando para sair de sua zona de conforto e ir atrás do seu sonho?

Então vamos lá, se atreva a pensar em um sonho que você vai priorizar agora, neste novo ano, e colocá-lo como objetivo e fazer acontecer. Você pode estar esperando por “Deus”, sim, Ele fará sim a parte Dele, mas em conjunto com você, porque o sonho é seu, e Ele realizará no tempo Dele, mas com o seu movimento, ânimo e alegria!!! Plante suas flores, cultive seus amigos verdadeiros, cante e se alegre com o que você tem, assim como a Cinderela fez, e vá atrás do seu sonho também!

 

Atendimento presencial e on-line
Criança, adolescente e adulto

Vivian Porto
Psicóloga Clínica CRP 08/26116
Graduada em Neuropsicologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp/2003)
Título de Especialista pelo Conselho Federal de Psicologia

Whats 45 98816-3159
svivcp@gmail.com
Rua Riachuelo, 2119 Centro - Cascavel-PR

Nícia Tavares
CRP 06/38566-6
Atendimento on-line Whats 11 97413-5371