Prevenção

Dia Mundial da Saúde Ocular lembra importância da prevenção

Dr. Cesar Shiratori

Mais de 75% das doenças que afetam a visão poderiam ser curadas ou evitadas caso fossem diagnosticadas no tempo certo”. A afirmação é do médico oftalmologista Cesar Shiratori, do Hospital de Olhos de Cascavel, lembrando que muitas doenças oculares passam desapercebidas em seu estágio inicial.  

Segundo Cesar Shiratori, as estatísticas indicam que ao menos 50 milhões de brasileiros sofrem de algum tipo de distúrbio da visão. “A indicação deste dia dez de julho, como o Dia Mundial da Saúde Ocular busca despertar a consciência social para a importância da prevenção e de cuidados que podem ajudar a evitar a perda parcial ou absoluta da visão”, observa. 

De acordo com o Oftalmologista erros de refração, catarata, glaucoma, retinopatia diabética, degeneração macular relacionada à idade e conjuntivite são as principais doenças oculares. 

A catarata, explica, é a doença que mais causa cegueira reversível no mundo e acomete principalmente a população idosa. Tem cura através de cirurgia, mas se não for tratada, evolui para a perda de visão. 

Erros de refração acontecem quando o feixe de luz ambiente sofre algum desvio provocado pela anatomia do olho, impedindo a perfeita revelação da imagem na retina. Os erros de refração são miopia, hipermetropia e astigmatismo, que podem ser corrigidos com óculos, lentes de contato e cirurgia refrativa. 

A DMRI, ou Degeneração Macular Relacionada à Idade, é uma doença ocular degenerativa da mácula, mais comum a partir dos 60 anos. Tratamentos, dieta alimentar balanceada e mudança de hábitos ajudam a controlar sua evolução. 

Outra grande ameaça é a retinopatia diabética. Quando o nível de glicose fica elevado por muito tempo, acaba causando uma lesão nos vasos sanguíneos da retina. Requer acompanhamento, atenção e controle dos níveis glicêmicos. 

O glaucoma é outra doença silenciosa. O aumento da pressão intraocular lesiona o nervo óptico, levando a progressiva diminuição da visão periférica. Seu diagnóstico só pode ser feito pelo oftalmologista, já que não existem sintomas até as fases mais adiantadas. Tem tratamento, mas não tem cura. Pode até levar à cegueira.

“Para cada doença, dispomos hoje de um tratamento ou uma cirurgia, capazes de recuperar ou manter a visão. Mas eles precisam acontecer no tempo certo. E isto só é possível quando fazemos consultas e exames periódicos com o oftalmologista”, resume Cesar Shiratori.


Dr. Cesar Shiratori
Oftalmologista
CRM-PR 18473 /  RQE 11101