Prevenção

Pré-diabetes, devo me preocupar?

Dra. Milena Colombo Bruno

O pré-diabetes é uma condição clínica que antecede o diagnóstico de diabetes, ou seja, é um alerta de que algo não está indo bem! E há risco de evolução para diabetes.

O diagnóstico é feito através de exames de sangue, como a glicose em jejum, hemoglobina glicada e teste de tolerância oral à glicose. O exame glicose em jejum é o mais realizado, sendo valores normais até 99mg/dl. Valores entre 100 e 125mg/dl já são alterados e indicam pré-diabetes, assim como quando valores maiores ou iguais a 126mg/dl apontam diabetes.   Por ser uma condição assintomática, o rastreio é necessário principalmente se houver fatores de risco:

• Idade maior ou igual a 45 anos

• Familiares com diabetes

• Obesidade ou sobrepeso

• Sedentarismo

• Hipertensão Arterial

• Dislipidemia (alterações nos níveis de colesterol e triglicerídeos)

• Diabetes gestacional previamente

• Síndrome do Ovário Policístico

 

Mas como evitar a progressão para o diabetes?

Isso envolve 3 pilares: alimentação, exercícios físicos e medicação, quando necessário. Alguns estudos mostram que a mudança do estilo de vida, com alimentação mais saudável, visando à perda de peso corporal em pacientes com sobrepeso ou obesidade (na ordem de 5% do peso inicial), juntamente com exercícios físicos (pelo menos 150 minutos por semana), pode reduzir o risco de progressão para diabetes em cerca de 40 a 50% em até 15 anos. 

E por que normalizar a glicose?

Além do risco de evolução para diabetes, uma doença crônica, com múltiplas complicações, que exige controle com uso de medicações contínuas, o pré-diabetes já pode estar associado a maior risco de doenças cardiovasculares (infarto, insuficiência cardíaca) e a complicações crônicas (que mais comumente vemos em pacientes com diabetes), como retinopatia, nefropatia ou neuropatia – que são acometimentos de visão, rins e neurológicas. Por isso, se a glicose está nesse nível intermediário, que chamamos de pré-diabetes, devemos buscar auxílio de um endocrinologista para reverter esse quadro e não evoluir para diabetes. Pode ser necessário uso de medicações, mas rever nossos hábitos e melhorá-los é o primeiro passo.

 

Dra. Milena Colombo Bruno

CRM-PR 30159 / RQE 23421
• Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR)
• Residência Médica em Clínica Médica pelo Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Unioeste)
• Residência Médica em Endocrinologia e Metabologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP)
• Pós-Graduação em Nutrição Clínica e Alimentos Funcionais pela Universidade Estadual de Londrina (UEL)
• Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia 

@dra.milenacolombo

Clínica Endonutri
45 3037-6844 | whats 99935-6822

Rua Minas Gerais, 1932 - Sala 205 - 2° andar - Ed. Unique - Centro - Cascavel - PR 

Dr. Diego Henrique Oliveira - Diretor Técnico Médico CRM-PR 23608 / RQE 2087