Entrevistas

Uma visão sobre a especialista na ciência dos olhos

Dra. Letícia Cantelli Daud Alves

Doutora Letícia Cantelli Daud Alves dedica-se à Oftalmologia com entusiasmo e carrega em seu currículo experiências de destaque, como a participação na implantação do Banco de Olhos de Cascavel

Na fala, a mesma paixão dos tempos de estudante, mas com o perfil e a dedicação de uma profissional experiente e reconhecida pelo que faz. A ciência dos olhos entrou na vida de Dra. Letícia de forma certeira, mas não sem que antes o caminho indicasse outras possibilidades. Com o interesse cultivado desde a infância pela área de Genética, ela apostou primeiro na Biomedicina, mas logo percebeu que seu destino era a Medicina. Ainda no terceiro ano de graduação, conheceu a Oftalmologia e encontrou nela o seu propósito. Desde então, dedicou sua vida e seus conhecimentos aos olhos de outras pessoas. O objetivo era sempre aprender mais. 

“Eu pedia para os professores para poder entrar em consultórios particulares, acompanhar cirurgias. Naquela época, era um ano e seis meses de internato. Hoje são dois anos. E nesse tempo tem o período de estágio opcional e eu fiz minha solicitação para um hospital oftalmológico em São Paulo. Mesmo sem resposta por parte da instituição, quando chegou o dia [do estágio] eu fui porque não queria perder a oportunidade, e consegui”, relembra com determinação. 

Com a conclusão da graduação na Faculdade de Medicina de Catanduva (FAMECA - SP) em 2000, veio a residência em Oftalmologia no Hospital do Olho de Rio Preto (HORP - SP). Além de oftalmologia geral, também se especializou ao mesmo tempo em cirurgia de glaucoma e de catarata.

Uma dedicação mesclada com entusiasmo que rendeu louros. Após a finalização de mais essa etapa, Dra. Letícia foi convidada por Dr. Carlos Gabriel Figueiredo, um dos profissionais da área mais respeitados do país, para assumir a função de preceptora da residência médica no mesmo hospital e auxiliar na formação de novos profissionais. “Ali fiquei por mais dois anos ensinando os residentes a operar catarata e orientando as cirurgias de glaucoma”, conta. 

Um espaço de crescimento

O conhecimento e a experiência da profissional ultrapassaram fronteiras e chegaram ao Paraná, mais especificamente em solo cascavelense. Ao vir para a cidade, em 2006, para integrar a equipe de oftalmologia do Hospital de Olhos de Cascavel, Dra. Letícia também enxergou sua carreira decolar. Participou, inclusive, da implantação do Banco de Olhos, uma entidade sem fins lucrativos (mantida pelo Hospital de Olhos), que abrange todo o Oeste e Sudoeste do Paraná. A estrutura moderna, conta com laboratório específico e equipado com toda a tecnologia necessária para os procedimentos de coleta, preparação e avaliação das córneas que, por sua vez, serão encaminhadas para a Central de Transplantes.

Além disso, no hospital, que atende pacientes dos mais diferentes estados brasileiros e também de outros países, como Paraguai e Argentina, Dra. Letícia é preceptora da residência em Oftalmologia, responsável pelo Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) do Hospital de Olhos de Cascavel e também diretora do Setor de Lentes de Contato, já que em seu currículo também carrega a especialização em contatologia. 

A Oftalmologia na prática

Pelas mãos e olhos atentos da Dra. Letícia passam diariamente diferentes demandas, desde ametropias, que são problemas mais comuns, como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia, até as doenças visuais mais avançadas.  “A maioria das pessoas vem para o consultório porque não está enxergando bem e acha que precisa de óculos, mas nesta análise, muitas vezes, descobrimos outras patologias. A cultura do brasileiro é ir quando algo está ruim, não vai para consulta de rotina”, alerta a profissional. 

O Hospital de Olhos de Cascavel conta com uma equipe de 18 oftalmologistas e equipamentos de última geração para diagnosticar e tratar as diversas doenças que podem afetar a saúde ocular. Também reúne, na mesma estrutura, exames, tratamentos, salas cirúrgicas e ambientes para a internação. Nesse aspecto, Dra. Letícia destaca a evolução da área na cidade. “A Oftalmologia em Cascavel é extremamente evoluída e nós somos um centro avançado. Falo para o paciente que hoje ele não precisa sair daqui para basicamente nada. Temos tudo que existe de mais moderno e especialista em todas as áreas. Tanto que conseguimos atender, além da nossa macrorregional, pacientes de outros lugares, como Mato Grosso do Sul, Paraguai, Argentina, Santa Catarina e, até mesmo, da região Norte do Brasil. Eu mesma já atendi pacientes do Acre e de Roraima”, exemplifica. 

Glaucoma - Uma doença silenciosa

Em todo o mundo, o glaucoma é a doença que mais leva à cegueira irreversível. Ele é chamado por muitos de “ladrão silencioso da visão”, pois não provoca sintomas até que seja tarde demais e grande parte da visão tenha sido comprometida. Na maioria dos casos, está relacionado com o aumento da pressão intraocular, que provoca lesões no nervo óptico e, em consequência, o comprometimento da visão, levando à perda progressiva e estreitamento do campo visual. 

Sendo uma doença sem cura, mas que pode ser controlada com tratamento apropriado, prevenir esse quadro ainda é um dos maiores desafios. “É uma doença muito triste. Tem dias que eu vou para casa muito cabisbaixa, mas com a consciência tranquila de que estou fazendo o melhor para os pacientes”, revela a especialista. “Diferentemente da catarata, que deixa o profissional mais feliz porque o paciente já sai da cirurgia enxergando”, complementa.

Com a ausência de sintomas mais evidentes, a recomendação é de que se consulte um médico oftalmologista regularmente, pois é quem poderá fazer um diagnóstico precoce da doença. Para avaliar a saúde ocular, o médico solicita ou realiza exames que permitam observar o fundo dos olhos, campo visual e aferir a pressão intraocular. Isso pode evitar que o paciente descubra tardiamente que tem a doença e corra o risco de perder a visão definitivamente.

“Gosto muito de ver o sorriso dos meus pacientes quando chegam ao meu consultório. Alguns já se tornaram meus amigos, pois tem casos que acompanho há anos, especialmente aqueles com glaucoma.”

Valorização da classe - Presidente - Regional Oeste - da Associação Paranaense de Oftalmologia 

A preocupação da Dra. Letícia com os pacientes ultrapassa as paredes do consultório e também está presente na representação, defesa e valorização da sua classe profissional. Um aspecto reconhecido e que entregou a ela a responsabilidade de assumir o cargo de Presidente - Regional Oeste - da Associação Paranaense de Oftalmologia (APO), que pela primeira vez descentralizou a direção da capital paranaense para o interior do Estado. “Buscamos unir nossa classe, defendendo os interesses do próprio público para obter um serviço melhor, de qualidade e dentro de condições financeiras plausíveis. A oftalmologia é muito mais do que prescrever óculos. Conseguimos determinar, por exemplo, uma série de problemas oculares e que, se diagnosticados no começo, às vezes, não deixam sequela nenhuma. Mas se a pessoa espera ficar ruim para procurar atendimento, talvez não seja mais possível salvar sua visão. Isso é extremamente importante”, reforça. A nova diretoria, que é presidida pela oftalmologista Dra. Juliana Almodin, de Maringá, está à frente da instituição para o biênio 2021/2022. Ao lado de Dra. Letícia Daud, na função de secretário regional, está o Dr. Guilherme Leite Camargo, que também compõe o time de especialistas do Hospital de Olhos. 

Quando procurar um oftalmologista?

Consultar o médico dos olhos é tarefa apenas de quem usa óculos de grau, certo? Errado. Ainda que a pessoa enxergue bem e não sinta nenhum desconforto visual, a oftalmologista destaca que é importante procurar um especialista com regularidade para verificar como está a visão. “Sempre digo para os pacientes que eles não podem lembrar que tem olho. Se lembrar é porque tem alguma coisa de errado acontecendo. Por isso, se sentir qualquer mudança, dor, incômodo, é preciso ir ao médico”, afirma.

A primeira consulta com um oftalmologista deve ser após o nascimento, sendo assim, é possível descobrir se há alguma malformação congênita, com o Teste do Olhinho. O mesmo procedimento é indicado quando a criança completa seis a oito meses de vida e depois disso recomenda-se visitas anuais para acompanhamento e diagnóstico precoce.

Uma consulta importante é antes de iniciar a fase escolar, na qual a criança deve passar pelo especialista a fim de identificar problemas que possam atrapalhar o seu desenvolvimento visual.

Atenção aos cuidados 

No dia a dia, as pessoas não percebem como negligenciam a saúde ocular. Elas expõem os olhos desnecessariamente ao risco de irritações, infecções e, inclusive, de perda da visão. Em função disso, a oftalmologista destaca três hábitos, entre os vários existentes, que são primordiais para manter os olhos saudáveis. 

O primeiro é a adoção de uma alimentação equilibrada rica em vegetais e frutas. “Hoje a gente sabe que existe uma série de patologias degenerativas dos olhos, mas que algumas mudanças na dieta podem ajudar a controlá-las. Então, se você tiver uma alimentação rica em antioxidantes naturais, alimentos com vitaminas E e A, tem um pouco mais de proteção”, destaca. 

Não é só a pele que pede cuidados com os raios solares. Os olhos também podem sofrer agressão da radiação solar, por isso o uso de óculos solares e de lentes com proteção ultravioleta contribuem para evitar o surgimento ou agravamento de doenças. 

Em terceiro, mas não menos importante, a prática de atividade física aeróbica regular também é um hábito que deve ser cultivado. “Ela é extremamente importante para uma boa circulação sanguínea e oxigenação dos tecidos oculares”, enfatiza.

Conhecendo mais a médica 

Origens?
Sou descendente de libanês e de italiano. Tenho muito orgulho dos meus pais e avós! Eles sempre foram minha grande inspiração!  Minha mãe é uma guerreira, criou três filhos com meu pai trabalhando e viajando muito. Meu pai era meu grande amigo, parceiro e confidente, sinto muito a falta dele. Também lembro que meu avô paterno (Adib Daud), que aos 12 anos de idade veio para o Brasil sem falar uma palavra em português. Cresceu, virou mascate e depois caminhoneiro, eram pobres! Mas, mesmo assim, conseguiu formar seus três filhos no ensino superior. Aprendi com todos eles que não precisamos ser melhores do que ninguém, porém precisamos ser bons, estudar, batalhar e ser honesto. São valores que também procuro ensinar aos meus filhos. 

Fé?
Sou uma mulher de fé e confio em Deus!

Uma viagem inesquecível?
Fiz tantas viagens legais, mas destaco uma que foi inesquecível: com 10 anos de casados meu marido me presenteou com uma viagem para Nova York de primeira classe e hospedagem na Times Square.

Um hobby? 
Gosto de jardinagem! Eu mesma cuido do meu jardim. Tirar o sapato, colocar o pé na terra, mexer com os troncos de árvores, cuidar das orquídeas, das flores em geral me faz muito bem. 

Planos?
Ficar velhinha, cuidar dos meus netos, curtir minhas plantinhas. Ou seja, quero ter um pomar e ver a criançada correndo, fazendo casinha nas árvores, essas coisas! 

Amor?
Minha família.

Sua essência?
Sinceridade! É minha maior qualidade e, às vezes, também é o meu defeito.  Sou amiga! Nunca faço para o outro aquilo que não gostaria que fizesse comigo ou para os meus. Lógico que somos seres humanos, podemos errar em algum momento, mas busco melhorar e sempre ajudar as pessoas da melhor maneira possível.

Vida?
O dia a dia – um dia após o outro!

Também faz parte da sua agenda? 
Além da rotina de levar e buscar os filhos, casa e consultório, eu também frequento  academia três vezes por semana e não deixo de ir à manicure (risos), finaliza! 

 

Dra. Letícia Cantelli Daud Alves
Oftalmologista - CRM-PR 22888 / RQE 14335
- Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Catanduva - SP
- Residência em Oftalmologia pelo Hospital do Olho de Rio Preto (HORP-SP)
- Especialização em Catarata e Glaucoma (HORP-SP)
- Especialização em Lente de Contato pelo Instituto Cléber Godinho – MG 
- Título de Especialista em Oftalmologia pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) 
- Membro Efetivo do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) 
- Membro Especialista da Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG)
- Membro Especialista da Sociedade Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (BRASCRS)
- Membro Efetivo da Associação Paranaense de Oftalmologia (APO) 
- Presidente - Regional Oeste - da Associação Paranaense de Oftalmologia
- Oftalmologista no Hospital de Olhos de Cascavel 
- Preceptora no Serviço de Residência do Hospital de Olhos de Cascavel