Prevenção

Conheça as doenças de pele e cabelo mais comuns em crianças

Saúde da criança

As crianças costumam ser alvos fáceis de diversos tipos de doenças de pele e cabelo, principalmente, em razão do constante contato com outras crianças no ambiente escolar. Além disso, o excesso de suor durante as brincadeiras também contribui para o surgimento de algumas condições dermatológicas. Dessa forma, é importante estar sempre atento se há coceiras, manchas e lesões nos pequenos, além de evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal, como toalhas de banho, escovas de cabelo, chinelos e roupas.

Confira a seguir as principais doenças de pele e cabelo que acometem as crianças e como preveni-las:

Pediculose (piolho)
Conhecida como piolho, a pediculose é uma doença parasitária causada por insetos sugadores de sangue, que vivem na superfície da pele e pelo. É transmitida pelo contato direto com outras crianças infectadas, e o principal sintoma é a coceira, que pode levar a ferimentos na cabeça e atrás das orelhas e nuca. O tratamento envolve o uso de medicamentos orais e tópicos. Além de evitar o compartilhamento de objetos pessoais, uma dica importante de prevenção é evitar que a criança vá para a escola com o cabelo molhado, pois a umidade favorece a proliferação do inseto.

Impetigo
Corresponde a uma infecção bacteriana que afeta principalmente a face e as extremidades da pele de crianças. É transmitida pelo contato com uma pessoa infectada. No entanto, pode surgir após picadas de inseto, ferimentos superficiais (arranhões e pequenos cortes) ou como infecção secundária aos quadros de dermatite ou alergia à picada de inseto. Entre os principais sintomas estão a formação de bolhas e crostas com a coloração parecida com a do mel. O tratamento envolve o uso de medicamentos orais e pomadas de antibióticos. Para prevenir que a infecção se espalhe, é essencial limpar as feridas com água e sabão e evitar coçá-las.

Molusco
Molusco é uma infecção viral que provoca lesões na pele de formatos semelhantes aos das espinhas. A principal forma de contágio é o contato direto com pessoas infectadas. Crianças com sistema imunológico enfraquecido e pele seca são mais propensas ao desenvolvimento. O tratamento consiste na remoção das lesões ou uso de medicamentos orais e tópicos. Para prevenir, é importante não compartilhar objetos de uso pessoal.

Impingem
Popularmente conhecida como micose superficial, a impingem é uma infecção fúngica altamente contagiosa, que leva a intensa coceira e formação de manchas vermelhas na pele, principalmente, entre os dedos do pé, virilha e outras regiões de dobras. Calor, umidade e transpiração favorecem o crescimento dos fungos, por isso é importante manter bons hábitos de higiene, secar bem o corpo após o banho e não compartilhar objetos de uso pessoal. Para o tratamento, são utilizados medicamentos tópicos.

Pitiríase versicolor
Também conhecida como micose de praia, a pitiríase versicolor é causada por leveduras (fungos unicelulares microscópicos), comum em climas quentes e úmidos. A condição não é contagiosa e manifesta manchas brancas arredondadas e, eventualmente, coceira.
Calor e suor favorecem o crescimento desses fungos, que podem invadir a pele e provocar as lesões. O tratamento envolve uso de medicamentos orais e tópicos. Para a prevenção, recomenda-se o uso de roupas arejadas e, preferencialmente, de tecidos leves, como os de algodão.

Verrugas
São proliferações benignas causadas pelo Papilomavírus Humano (HPV) transmitidas pelo contato direto com uma pessoa ou objeto infectado. Normalmente, são ásperas e possuem aspecto de couve-flor. Embora não manifestam sintomas, ocasionalmente, podem sangrar. O pico de incidência é dos 12 aos 16 anos. Normalmente, nas crianças, as verrugas desaparecem sem a necessidade de tratamento.

Brotoeja
As famosas brotoejas causadoras de bolinhas de água pelo corpo correspondem a uma dermatite inflamatória, provocada pela obstrução das glândulas de suor. Entre as principais causas estão o excesso de roupas e agasalhos, calor, umidade e febre alta. Normalmente, as brotoejas surgem no tronco, pescoço, axilas e dobras de pele, e não são contagiosas. Na maior parte das vezes, elas desaparecem sozinhas, sem necessidade de medicamentos. Para preveni-las, é importante manter os ambientes arejados e priorizar o uso de roupas leves e de algodão.

Fonte: SulAmérica/SaúdeAtiva