Prevenção

Tremor essencial: doença que se confunde com o Parkinson é desordem neurológica comum

Saúde do Idoso

Os primeiros sintomas podem levar o paciente e sua família a suspeitarem de Parkinson, mas o tremor essencial é uma doença diferente. Apesar de ter como principal característica o tremor, as duas condições possuem sintomas diferentes e não têm relação entre si. No caso do tremor essencial, a agitação normalmente acontece quando se está em movimento, diminuindo quando se está em repouso, ao contrário do Parkinson que se manifesta principalmente nos momentos de descanso, quando a pessoa está parada. Mesmo sendo menos conhecido, o tremor essencial é uma das desordens neurológicas mais comuns que existe, superando os casos de Parkinson, inclusive. Estima-se que 20% da população acima de 65 anos possa ter a doença em algum momento da vida. “A doença pode começar a se manifestar bem cedo, mas o paciente só terá algum tipo de limitação mais grave quando ficar mais velho, dos 50 anos para frente. É comum, inclusive, que o paciente se lembre de que quando criança tremia ou tinha uma dificuldade a mais para escrever. Em geral, os pacientes falam ‘sempre tremi um pouquinho e fui aprendendo a conviver’, mas quando chega ao ápice do tremor essencial e compromete a qualidade de vida, a pessoa não consegue assinar, não consegue segurar o talher direito ou fazer outras atividades básicas do dia a dia, é aí que ela vai procurar ajuda”, conta a equipe de neurologia do HCor. Ainda de acordo com a equipe, curiosamente, um dos aspectos que completa o diagnóstico é quando a pessoa sente uma melhora no tremor ao ingerir um pouco de bebida alcoólica. Então, é comum as pessoas que sofrem com a doença se viciar em bebida alcoólica. “Eu mesmo já cheguei a operar pacientes que chegaram à cirurgia porque estavam bebendo demais e não conseguiam mais fazer as coisas com as mãos”, relata.

Sintomas de Tremor essencial
• A causa dos tremores é neurológica, porém não se sabe exatamente o que provoca os tremores.
• Tremor que aparece cedo na vida e permanece por anos, chegando a prejudicar a vida do paciente. Pode iniciar em mais de um lado do corpo e evoluir para os dois lados, impedindo tarefas simples, como beber água, cortar alimentos, escrever; sendo muitas vezes constrangedor.
• Tremor de ação que ocorre, normalmente, em ambas as mãos, de maneira igual, enquanto elas estão levantadas, no ar, e quando estão sendo utilizadas para, por exemplo, beber um café ou usar o talher.
• É um tremor de ação, melhorando quando as mãos estão em repouso.
• Por outro lado, tremor associado à lentidão, rigidez articular e quedas não são sintomas associados ao tremor essencial; e devem levantar suspeita para outras doenças, como Mal de Parkinson.

Tratamentos
Em geral, a doença afeta os dois lados da cabeça, o que significa que o corpo todo da pessoa pode ser acometido. A pessoa pode ficar com tremor na cabeça e, até mesmo, na língua dificultando a fala, porque afeta o meio do corpo também.
O tratamento inicia-se com uma medicação sedativa que melhora o tremor um pouco. Essa solução funciona por um período, mas depois não funciona mais e aí a única saída é a cirurgia:
Marca-passo cerebral: é colocado em uma região específica do cérebro e por meio de impulsos elétricos o tremor para;
Talamotomia: pequena lesão feita no cérebro, procedimento invasivo;
Lesão com ultrassom: uma lesão é feita dentro da ressonância e manda um ultrassom de alta frequência que faz uma pequena coagulação do cérebro. Esse tratamento ainda não existe no Brasil;
Gamma Knife: esse tratamento faz uma ressonância com aro para determinar precisamente o local da lesão que é feita por meio da radiocirurgia.

Fonte: HCor