Notícias

A importância da Coenzima Q10 para nosso organismo

A Coezima Q10 é uma substância presente em todas as células do nosso organismo, com concentrações maiores nos tecidos do coração, fígado, cérebro e músculo esquelético. Também conhecida como CoQ10 e uniquinona, participa da produção de energia mitocondrial transferindo os elétrons durante a cadeia respiratória, protegendo as proteínas da membrana mitocondrial, os fosfolipídios e o DNA de danos oxidativos, além de poder regenerar outros antioxidantes, como o ácido ascórbico e o a-tocoferol.
Essa substância também pode ser obtida por meio de dieta, por estar presente em ovos, cereais, produtos lácteos, frutos secos, como nozes, e nos vegetais, principalmente, espinafre e brócolis. Carne vermelha, de peixe e de aves são fontes ricas em CoQ10. Ela também é comercializada como suplemento alimentar ou nutracêutico e utilizada em formulações cosméticas.
Estudos revelam que a CoQ10 tem grande importância também no tratamento de desordens mitocondriais e neuromusculares e doenças neurodegenerativas. Em experimentos com doenças neurodegenerativas, a CoQ10 demonstrou neuroproteção e efeitos protetores sobre disfunção mitocondrial. A administração da Coenzima Q10 aumentou sua concentração nas mitocôndrias de células do cérebro exercendo efeitos de proteção sobre lesões induzidas, além de preservar neurônios dopaminérgicos. Estes estudos experimentais vêm demonstrando resultados promissores em doenças neurodegenerativas tais como doença de Huntington, Parkinson, Alzheimer e esclerose lateral amiotrófica. Estudos recentes apontam que a CoQ10 atua também no sistema imunológico. Sua utilização e seus benefícios também vêm sendo estudados para o tratamento de outras doenças e síndromes, como doenças cardíacas, melhoria na qualidade do sêmen de homens inférteis, síndrome de Down, câncer de mama e no tratamento de enxaquecas.

Suplementação da Coenzima Q10
A redução dos níveis plasmáticos e teciduais de CoQ10 está relacionada ao aumento do estresse oxidativo, associado ao envelhecimento e diversas patologias. A suplementação oral da CoQ10 provou ser eficiente para aumentar estes níveis, podendo ser uma grande aliada terapêutica. A administração oral de CoQ10 geralmente é bem tolerada, sem efeitos adversos graves detectados no uso de longo prazo. A recomendação mais comum é para indivíduos que usam estatina e pessoas com doenças genéticas que alteram o metabolismo mitocondrial. Idosos também podem ser beneficiados com a suplementação, uma vez que a produção endógena diminui com o envelhecimento. Vale lembrar que nenhum tipo de suplementação deve ser realizado sem a indicação de um especialista.

Fonte: Mônica Amadio Piazza Jacobs / Viva Bem UOL