Notícias

V Encontro da Atenção à Obesidade contabiliza cerca de 3 mil inscritos

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a proporção de obesos na população com 20 anos ou mais idade no país mais que dobrou, passando de 12,2% para 26,8%, no período de 2003 a 2019. Os dados de 2019 apontam ainda que uma em cada quatro pessoas com 18 anos ou mais no Brasil estava obesa, o equivalente a 41 milhões de pessoas. Estes dados foram apresentados no V Encontro da Atenção à Obesidade, realizado pelo Grupo de Atenção à Obesidade, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) em 22 de outubro. Nessa edição, o evento foi on-line e teve como tema a “Educação na Atenção à Obesidade”, atraindo participantes de mais de 100 cidades da região, além de outros estados brasileiros e países, como o Paraguai. Foram 2869 inscritos, aproximadamente 1700 participantes ao vivo. Após o evento e até o fechamento desta edição, o vídeo alcançou mais de 8000 visualizações. “Os números de participantes de Cascavel e outras regiões nos deixaram entusiasmados. A iniciativa contou com informações extremamente qualificadas por meio de profissionais de diversas áreas. São conhecimentos que precisam ser difundidos para toda a sociedade, para que possamos minimizar essa expansão da obesidade”, avalia o médico e coordenador do Serviço de Obesidade e Cirurgia Bariátrica do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP), Dr. Allan Cezar Araujo. 

Obesidade na educação
Neste ano, o encontro contou com a participação da Secretaria Municipal de Educação, ressaltando a importância do tema educação para reduzir os impactos da obesidade. “Sabemos que a obesidade não inicia na fase adulta, e o caminho para combatê-la na infância e adolescência é a educação. O educador tem um papel fundamental na interação com os pais e a comunidade, sendo necessário que eles também saibam como abordar este assunto”, ressalta Dr. Allan. De acordo com a secretária de educação, Marcia Baldini, o tema é preocupante dentro das escolas, e as informações precisam ser discutidas para que se transformem em ações. “Temos essa preocupação de combater à obesidade infantil. Parcerias com outras instituições são importantes para levar esse trabalho por meio da educação continuada e abordagem sobre a conscientização do tema com nossos profissionais e pais. A rede pública municipal está à disposição para que possamos traçar novos projetos frente à problemática”, enfatiza. 

Conhecimentos que se transformam em ações
A participação não ficou restrita aos educadores e profissionais de saúde. Os temas foram voltados para toda a sociedade. “Trabalhar com educadores e instituições formadoras é um dos pontos essenciais para que possamos ampliar nossa rede de atenção à obesidade. Mas é necessário também ter a integração e, para isso, o conhecimento sobre o tema deve ser expandido para todos. Falar sobre obesidade vai muito além de uma cirurgia bariátrica e na infância não basta apenas medir e pesar a criança, é necessário proporcionar mais ações que tenham resultados positivos”, destaca Dr. Allan. Foram abordados os seguintes assuntos: “Educação e Obesidade”, por Dr. Allan Cezar Araujo; “O Peso das dietas” foi o tema da professora Dra. Sophie Derran; “Educação na atenção à obesidade materno-infantil”; “Impacto da obesidade materna sobre a saúde dos filhos”, pela professora Dra. Sabrina Grassiolli; “Obesidade Infantil: Perspectiva de crianças, familiares e profissionais de saúde e educação”, pela professora Dra. Maria Aparecida Baggio; “Obesidade Infantil: a criança é obesa ou ‘fofinha?’ ”, pelo professor Dr. Fabiano Sandrini; “Educação no tratamento multidisciplinar da obesidade”; “Mudança de hábitos de vida”, pelas psicólogas Jaquilene Barreto da Costa e Ana Karoline Gomes Berté; “Diferentes formas e momentos de se exercitar”, pelo professor Dr. Gustavo Nakayama; “Tratamento da obesidade”, pelo professor José Henrique de Almeida Netto. O evento contou com o apoio de universidades públicas e privadas de Cascavel e região, do Núcleo Regional de Educação, da 10ª Regional de Saúde, da Associação Comercial e Industrial de Cascavel (ACIC), da Prefeitura de Cascavel e do Governo do Estado, além da participação do Ministério da Saúde, HCor de SP e Secretaria do Estado da Saúde do Rio Grande do Sul.

Fonte: Central de Notícias Unioeste