SAÚDE NEWS

Editorias

Prevenção

21/09/2019
O perigo dos anabolizantes para o fígado

CAF - Centro Avançado do Fígado

Na busca por um corpo musculoso e bem torneado, muitas pessoas acabam recorrendo a métodos que mais prejudicam a saúde. O mais popular é o uso de esteroides, também conhecidos como anabolizantes, que aceleram o desenvolvimento da massa muscular, mas em contrapartida podem trazer danos irreversíveis a órgãos vitais, como o fígado.
Os anabolizantes são hormônios sintéticos fabricados a partir do hormônio sexual masculino (testosterona) e precisam ser metabolizados pelo fígado para serem absorvidos pelo corpo e gerar os efeitos esperados. No entanto, quando processados em excesso ou por longo período de tempo, acabam sobrecarregando as funções hepáticas, podendo gerar inflamações, colestase, peliose ou até mesmo um adenoma hepático.
A colestase se caracteriza pela interrupção ou redução do fluxo biliar, o que compromete a retenção de vitaminas importantes para o organismo e o descarte de substâncias como a bilirrubina, pigmento formado por células antigas ou danificadas. A peliose consiste na presença de cistos preenchidos por sangue, que podem se romper e provocar hemorragias. Já o adenoma hepático é um tipo de tumor benigno, mas que pode acarretar sérios riscos ao paciente atingido, pois as chances de hemorragia, rotura ou de se tornar maligno são altas.
O fato destas doenças não apresentarem sintomas em estágio inicial, aliado ao uso contínuo de anabolizantes, eleva o risco de complicações para o fígado, inclusive em pessoas mais jovens. Por isso, o alerta dos médicos é unânime: faça um check-up anual, converse com seu médico e não tome medicamentos ou substâncias derivadas de hormônios por conta própria.
 
Rua Pernambuco, 2450 - Coqueiral - CEP 85807-050 - Cascavel/PR - Fone: (45) 3224-7212 / 3038-7216 / 99972-4744 / 99931-8072
COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.