SAÚDE NEWS

Editorias

Prevenção

15/07/2018
Eletroestimulação muscular auxilia na reabilitação de pacientes neurológicos

A Eletroestimulação TASES caracteriza-se por uma corrente elétrica específica com efeito proprioceptivo e motor de recrutamento muscular. É uma abordagem diferenciada que permite maior atividade muscular para uma melhor habilidade funcional. Pacientes com lesão neurológica beneficiam-se por conduzir sensorialmente musculaturas que deverão ser potencializadas. Todos os pacientes neurológicos, salvos os pacientes com crises convulsivas, podem fazer uso.
Para esta terapia é utilizado o aparelho Empi Continuum com elétrodos que são fixados nos pacientes. O dispositivo dispara uma corrente de baixa intensidade em momentos específicos em determinados músculos, estimulando a contração durante os movimentos. Seja na manutenção de posturas, sentada ou em pé, ou em movimentos complexos como a marcha, o aparelho promove a contração ativa.
A TASES é realizada conforme a necessidade de cada paciente (pode ser utilizada com associação de outras técnicas e terapias) e com o acompanhamento de um profissional fisioterapeuta. Os resultados são comprovados por meio de estudos científicos e na avaliação clínica.

Estimulação elétrica específica à Tarefa
Este método terapêutico diferencia-se na implementação de parâmetros técnicos específicos. O profissional faz uma seleção dos músculos que serão estimulados durante a contração das atividades. O aparelho é ativado por controle remoto no momento em que os movimentos de determinada tarefa são realizados.

Os benefícios são:

- Melhora da força e amplitude de movimento

- Ativação e crescimento da musculatura

- Percepção corporal e mobilidade

- Desenvolvimento da função manual e controle postural