SAÚDE NEWS

Editorias

Prevenção

16/03/2018
Tratamento inovador para aneurismas cerebrais

Mais de cinco milhões de brasileiros portam um aneurisma cerebral; uma porção enfraquecida e alargada de um vaso sanguíneo cerebral e que devido à ausência de sintomas, muitas pessoas não sabem que os têm, e quando descobrem já é muito tarde. Recentemente foi criado um novo método inovador e minimamente invasivo para tratar e eliminar os riscos desses aneurismas romperem e sangrarem. Os diversores de fluxo são uma nova tecnologia que revolucionaram o tratamento dos aneurismas cerebrais. São como tubos feitos por uma malha específica de metal com porosidade adequada que impedem a passagem de sangue para dentro do aneurisma, são implantados dentro do vaso de modo a recobrir a parede interna e a entrada do aneurisma. Dessa maneira, o fluxo de sangue é redirecionado para seu caminho normal dentro do vaso e o aneurisma é excluído da circulação promovendo a cura completa. O mais interessante é que esse procedimento pode ser realizado de maneira minimamente invasiva, navegando por dentro do vaso através de uma pequena punção na virilha.
Logo que surgiu, até pouco tempo, essa nova tecnologia só poderia ser usada em casos de aneurismas grandes e gigantes, que realmente eram os mais desafiadores cirurgicamente. No entanto, o método evoluiu progressivamente e hoje comprovadamente também é seguro e eficiente no tratamento de aneurismas menores, bem como em localizações que impossibilitam a alternativa de tratamento cirúrgico.
Essa malha na parede interna do vaso, eventualmente recoberta por células do próprio corpo, ao se realizar um novo exame algum tempo após o seu implante nem seria possível vê-la. Dessa maneira, os pacientes podem ter um período de internamento no hospital mais curto em relação à cirurgia convencional, além de um retorno mais rápido às suas atividades normais do dia a dia, geralmente em uma ou duas semanas.
Estamos indicando o método cada vez mais e temos observado excelentes resultados atingidos, principalmente com uma satisfação maior por parte dos pacientes. Em março de 2018, estive em uma conferência em Jacksonville que reuniu os mais renomados especialistas do mundo com habilidades e conhecimento nesta tecnologia, e as perspectivas de mais evolução e inovações são muito promissoras.

Fique atento
É importante ficar atento ao histórico familiar, pois familiares de pacientes que já tiveram um aneurisma cerebral possuem uma chance muito maior de também serem acometidos pelo aneurisma e necessitam, portanto, de investigação.