SAÚDE NEWS

Editorias

Notícias

15/03/2018
Brasileira que provou elo entre zika e microcefalia vence prêmio

A coordenadora do primeiro estudo a demonstrar a associação entre o zika vírus e os casos de microcefalia em bebês, epidemiologista Celina Turchi, da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), é a vencedora do Prêmio Péter Murányi 2018, na área de saúde. O trabalho foi consagrado após análise de um júri científico, que contou também com a contribuição de representantes de vários setores da sociedade.
A epidemia de zika, vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo vetor da dengue, assustou o país nos últimos anos e a epidemiologista foi protagonista na elucidação da causa. Ela capitaneou o estudo de caso, inédito no planeta, que confirmou o papel do zika, e não de outros fatores, como indutor de alterações no sistema nervoso de bebês em desenvolvimento. Graças à pesquisa, feita em ritmo recorde considerando a urgência e o alarmismo da situação, chegou-se a conclusão: ao infectar gestantes, o vírus estava por trás dos casos de microcefalia. A cientista receberá a premiação de R$ 200 mil da Fundação Péter Murányi, instituição paulista que reconhece projetos relevantes e inovadores nos campos da ciência, saúde e educação.

Fonte: Saúde/ Abril