SAÚDE NEWS

Editorias

Beleza e Saúde

15/11/2017
Eu tenho sardas!

Dra Luciane Hyppolito

Informe publicitário

Sardas são manchas arredondadas e estreladas de pequeno diâmetro, de cor marrom, que podem aparecer de forma localizada ou generalizada. São naturais e ocorrem por tendência genética e exposição solar. O pigmento marrom (melanina) ajuda a proteger a pele dos raios ultravioleta do Sol, refletindo ou absorvendo-os, por isso o bronzeado (escurecimento da pele à exposição solar) é um mecanismo de defesa de nossas células para impedir que a radiação ultravioleta continue penetrando na pele. Quanto mais escura a pele da pessoa, mais protegida ela está. Mas estar bronzeada não significa pele morena-natural, essa é naturalmente mais resistente à radiação, enquanto a pele branca bronzeada significa que está temporariamente morena porque foi exaustivamente irradiada. E paga-se um preço por isso no futuro: PERDA PRECOCE DE COLÁGENO E APARECIMENTO DE SARDAS E RUGAS.
As sardas podem aparecer já no 1º ano de vida ou com a idade. Cerca de 90% das pessoas brancas maiores de 50 anos terão sardas ou algum tipo de mancha na pele. Mas não se engane, sardas também podem ocorrer em pessoas de pele morena a negra. Isto é um sinal de sensibilidade. Pessoas com sardas devem se cuidar muito mais! Usar regularmente Filtros Solares e não se expor ao sol. O risco de desenvolvimento de um câncer de pele é maior em indivíduos com sardas, principalmente em brancos e ruivos. Por isso, se você tem sardas não sinta vergonha, atualmente elas estão na moda! Porém, se você está incomodado (a), saiba que há diversos tratamentos dermatológicos para controlá-las, amenizá-las ou, até mesmo, eliminá-las.

Dra. Luciane Hyppolito dos Santos
CRM-PR 17644
Dermatologista - RQE 9833
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)
Rua Pernambuco, 2450 - Coqueiral - CEP 85807-050 - Cascavel/PR - Fone: (45) 3224-7212 / 3038-7216 / 99972-4744 / 99931-8072
COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.