SAÚDE NEWS

Editorias

Bem-Estar

15/03/2017
Troque o sódio

Cada vez mais se alerta a respeito dos danos que os alimentos ultraprocessados causam à saúde. O problema nem sempre é com o consumidor, que até sente vontade de fazer escolhas melhores. O problema é o todo, é o estilo de vida acelerado que acaba nos convencendo a buscar o mais rápido, o mais prático e, na maioria das vezes, o menos saudável.
Um grande problema dos ultraprocessados é a quantidade exagerada de sódio. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a quantidade indicada de sódio na alimentação é de, no máximo, dois gramas por dia (o que equivale a cinco gramas de sal). No Brasil, estima-se que o consumo diário seja de quase 12 g de sal por pessoa, mais que o dobro recomendado pela OMS.
Algumas medidas apoiadas pelo Ministério da Saúde têm a ver com o uso moderado do sal no preparo dos alimentos. A substituição de caldos em cubo e de molhos prontos, com alto índice de sódio, por temperos naturais, é um bom exemplo.
De acordo com a Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, ervas frescas como alecrim, manjericão, salsa, cebolinha, tomilho, hortelã e orégano são fontes de vitaminas, minerais e compostos bioativos e possuem valor calórico muito baixo. Os temperos frescos podem ser utilizados em diversos pratos, proporcionando sabor e aroma agradáveis.
O Guia Alimentar para a População Brasileira sugere que, em vez de serem usadas carnes salgadas no cozimento do feijão, o que gera muito óleo e sal, sejam aumentadas as quantidades de cebola, alho, louro, salsinha, cebolinha, pimenta, coentro e outros temperos naturais, bem como outros alimentos, como cenoura e vagem, que acrescentam mais nutrientes ao organismo.

Fonte: Revista Vida e Saúde