SAÚDE NEWS

Editorias

Bem-Estar

18/03/2017
Como acalmar um bebê?

O que ele tem? O que eu faço? Por que não para de chorar?

A primeira forma de comunicação do bebê com o mundo é o choro. Um dos principais desafios dos pais, principalmente os marinheiros de primeira viagem, é identificar porque seus filhos recém-nascidos estão chorando, habilidade que só vem com o tempo. Os pequenos de zero a seis meses costumam ir às lágrimas até três horas/dia, por diversos motivos: fome, sede, frio, calor, saudade, dor, entre outros exemplos de que algo o incomoda. Até os 12 meses uma criança não sabe o que é manha ou birra, por isso, no lugar do desespero ou de não saber como agir, aprenda a reconhecer os sons, sinais e necessidades do seu filho. Para facilitar e tirar dúvidas das mamães, papais, avós e cuidadores, a Saúde News ouviu três pediatras experientes e muito dedicadas: Paula Fantinatti Guimarães de Souza, Deisi Franciscato e Edirlene Doroti Wisniewski.

Verifique as fraldas
Bebês choram quando estão com as fraldas muito cheias ou apertadas. O contato com a urina ou fezes incomoda e pode provocar assaduras. Então, sempre conferir a genitália do bebê para eliminar essa possibilidade.

Alimente-o
Gemidos semelhantes a um apelo que não cessam com carinhos, ofereça o peito, já que o choro pode ser fome ou sede. Até o sexto mês o alimento exclusivo do bebê é o leite materno, então nada de dar água ou chás. Continue pelo menos até os seis meses, somente com leite materno, além de satisfazer a necessidade de sucção de seu bebê, não sobrecarregará o seu rim e intestino com nutrientes pesados contidos em outros tipos de alimentos, evitando desconfortos.

Fazer o ruído “shhh”
O som “shh shh” próximo do ouvido do bebê, mais alto do que o choro pode ser uma forma de acalmá-lo, porque este som é semelhante aos sons que o bebê ouvia quando estava na barriga da mãe.

Colocar para arrotar
Quando o bebê chora depois de mamar, principalmente se estiver deitado, pode ser um arroto “entalado”. Basta colocar o bebê na vertical e dar tapinhas leves nas suas costinhas.

Frio ou calor
A criança pode estar com frio ou calor. Quando o choro é por calor, o bebê fica suado e molhado, principalmente na raiz do cabelo. A pele pode ficar pegajosa e com brotoejas. Enquanto no frio, as extremidades ficam geladas, como dedos das mãos e dos pés.

Enrole
Enrolar o bebê numa manta faz com que ele se sinta mais aconchegado e protegido como se ainda estivesse no útero da mãe.

Cólicas
Se o choro for agudo e intenso, normalmente leva a criança a esticar e encolher as perninhas, tremer o queixo e fazer cara de dor. Alguns métodos ajudam a acalmar a dor: faça massagem no abdômen com um óleo específico para bebês em movimentos circulares e em sentido horário ou compressa morna na barriga, sobre as roupas. Se mesmo assim não acalmar, o simples ato de tirar a roupinha e deixá-lo de bruços com a barriguinha sobre a sua pode ajudar. O contato pele a pele acalma.

Algo para chupar
O ato de sugar tem o poder de estabilizar a frequência cardíaca do bebê, relaxar seu estômago e acalmar aqueles movimentos desordenados de braços e pernas.

Inspeção
Dê uma boa inspecionada na pele dele. Verifique se não há nada de errado com a roupinha ou fralda: botão, etiqueta, dobra na roupa ou a fralda apertada demais. Olhe seus dedinhos e verifique se não há fio de cabelo enrolado neles.

Mantenha a calma
Quando os pais estão nervosos ou irritados com o choro do bebê, será bem mais difícil ele se acalmar, pois as crianças são sensíveis ao ambiente. Seja compreensivo.

Estímulos e sono
O sono deixa a criança muito agitada e com choro apreensivo, assim como o excesso de estímulos. Também pode ser um choro acompanhado de soluços, como se o pequeno estivesse meio “engasgado” de raiva ou brabeza. Diminua a luz, o volume dos sons ao redor, peça às pessoas que o deixe sozinho com você. Muitas visitas, passar de colo em colo, o barulho, a luz em demasia, são coisas que cansam muito a criança.

Banho
Mesmo que você já tenha dado banho em seu bebê, se o choro estiver descontrolado, colocá-lo na água morna pode ser a melhor solução.

Verifique dentro da boca
O nascimento dos dentes é um longo processo que incomoda bastante alguns bebês. Se ele estiver com a gengiva inchada e avermelhada, babando e enfiando as mãozinhas dentro da boca, os dentes estão nascendo. Os primeiros surgem entre quatro e sete meses, mas podem chegar antes ou bem depois.

Aconchego
Ele pode estar querendo atenção e carinho. Pegue-o no colo. Converse com o pequeno em tom suave de voz. Dê leves palmadinhas em sua bundinha. Cante, brinque e aproveite esses bons momentos juntos, pois eles crescem rápido.

Mas se o bebê não parar de chorar?
Elimine cada opção até chegar a uma que acalme seu bebê. Se o choro persistir, ele pode estar com febre ou com algum tipo de dor. Não o faça tomar remédios sem orientação médica. Procure o seu pediatra de confiança e descubra o que realmente o pequeno tem. Afinal, ele é o especialista que orienta todos os aspectos da saúde infantil: alimentação, comportamento, tratamento de doenças e, sobretudo, prevenção.