SAÚDE NEWS

Editorias

Prevenção

16/11/2015
Se te queres matar?

 A resposta afirmativa, ao poema de Fernando Pessoa, nos remete a um quadro de gravidade extrema em psiquiatria denominada suicídio. O suicídio é a trágica perda da vida humana, devastadora por ser voluntária e intencional e visto de forma complexa, com uma gama de atitudes, pensamentos e comportamentos de limites vagos e imprecisos. Diante de tal fato, questiona-se qual motivação leva o individuo a tamanha agressividade dirigida a ele mesmo e o que se pode fazer para evitá-lo.
Figura hoje, entre as três principais causas possivelmente evitáveis de morte, entre pessoas de 15 a 34 anos e está entre as dez principais causas de morte no mundo. Outrora predominante entre populações idosas, atualmente é frequente em populações mais jovens tornando-se um problema de saúde pública. A Sociedade Brasileira de Psiquiatria - ABP, junto ao Conselho Federal de Medicina – CFM elaboram uma cartilha para oferecer informações aos médicos e profissionais da área de saúde, de forma a ajudá-los a identificar pessoas em risco e prevenir o ato suicida.
 Infelizmente, a maior parte dos indivíduos que tiram a própria vida, são portadores de um transtorno psiquiátrico específico e tratável (transtornos do humor bipolar, depressão, alcoolismo, drogadição e esquizofrenia). A identificação precoce desses transtornos e seu tratamento adequado, na maioria dos casos, polpa a vida do enfermo e evita o desdobramento catastrófico que é o autoaniquilamento, impedindo a perda de vidas prematuramente e suas repercussões entre os indivíduos que o cercam e suas gerações. O tratamento medicamentoso, tendo como objetivo a melhora neuroquímica relacionada aos transtornos específicos se faz necessário, porém, o estímulo dos fatores de proteção (como suporte social, vinculo familiar e religiosidade) associado, bem como a psicoterapia tem benefícios mais duradouros. O tratamento com supervisão contínua em ambiente hospitalar está destinado a aqueles casos, classificados pela Organização Mundial de Saúde, como de alto risco, com o consentimento familiar adequado.
 

Em Cascavel a rede de saúde mental conta com os seguintes serviços:
- Caps ad (Centro de Atenção Psicossocial - álcool e drogas) - atende crianças e adolescentes usuários de drogas; 
- Caps III (Centro de Atenção Psicossocial): atende adultos com transtornos mentais;
- Caps i (Centro de Atenção Psicossocial - infantojuvenil): atende crianças e adolescentes com transtornos mentais; 
- Casm (Centro de Atenção à Saúde Mental): atende adultos com transtornos mentais;
- Caps ad III (Centro de Atenção Psicossocial - álcool e outras drogas): atende crianças, adolescentes e adultos usuários de drogas; 
- Unidades de Acolhimento, para adolescentes e adultos de ambos os sexos usuários de drogas, que se encontram em situação de vulnerabilidade; 
- Hospital Universitário: leitos psiquiátricos de curta permanência para atendimento a crianças e adolescentes de ambos os sexos, usuários de drogas.
Os pacientes devem buscar a unidade básica de saúde, ou unidade de saúde da família, para atendimento e encaminhamentos aos serviços.
 
Rua Pernambuco, 2450 - Coqueiral - CEP 85807-050 - Cascavel/PR - Fone: (45) 3224-7212 / 3038-7216 / 99972-4744 / 99931-8072
COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.