SAÚDE NEWS

Entrevistas

Entendendo o suor excessivo (hiperidrose)


1 - Qual a função do suor?
É importante saber que o ser humano tem a capacidade de suar por toda a superfície corporal. A função do suor é a diminuição da temperatura corporal em determinadas situações como a realização de atividades físicas, permanência em ambientes quentes, condições hipermetabólicas, entre outras.

2 – Em que momento o suor passa a ser um problema?
Quando o suor ocorre fora dessas situações citadas anteriormente, de forma difusa ou localizada e em quantidade suficiente para causar desconforto. Nestes casos, é necessário procurar acompanhamento médico especializado para investigar a presença de algum transtorno clínico.

3 - O que é hiperidrose localizada primária ou essencial?
É uma situação na qual o suor excessivo acontece em áreas específicas do corpo como: palmas das mãos, axilas, plantas dos pés e face, podendo se apresentar de forma isolada ou combinadas entre si, sem a presença de outras doenças associadas. O suor excessivo é de origem desconhecida, muitas vezes, desencadeado por situações de estresse e não costuma ocorrer durante o sono. Manifesta-se em torno de 0,5 a 3% da população e existe relação de hereditariedade aproximadamente em 30 % dos casos.

4- Quais as opções de tratamento?
Existem diversas opções de tratamento para hiperidrose primária, passando por clínico medicamentoso, talcos, cremes à base de alumínio, iontoforese, toxina botulínica, retirada de tecido glandular axilar e a cirurgia. Cada um destes possui indicações, contraindicações, riscos, efeitos colaterais e resultados, sendo avaliados caso a caso.

5 - O que é simpatectomia?
Simpatectomia torácica videotoracoscópica é um procedimento cirúrgico minimamente invasivo realizado em ambiente hospitalar. Neste método é efetuado um bloqueio do estímulo da produção de suor nas regiões acometidas através da ablação ou clipagem de um determinado segmento da cadeia simpática na região torácica.

6 - Quando o tratamento cirúrgico é indicado?
Atualmente a simpatectomia é o tratamento de escolha para os casos de hiperidrose axilar, palmar e facial. Porém, cabe informar que existem classificações da intensidade de suor palmar e axilar, mas não existe uma quantidade de suor que defina a recomendação de tratamento cirúrgico. O transtorno associado ao desconforto profissional, social e pessoal são os principais fatores que auxiliam na definição desta opção de tratamentodefinitivo.

7 - Como é a evolução pós-operatória?
O tempo de hospitalização varia de 12 a 24 horas e o retorno às atividades diárias ocorre entre 2 a 7 dias sendo que as atividades físicas desportivas estão liberadas após 30 dias.

8 - Quais os resultados da simpatectomia?
A redução acima de 80% do suor prévio é considerada adequada, mas a maioria obtém resposta acima de 90%. A dor e o suor reflexo são as manifestações pós-operatórias mais frequentes.
Apesar de a simpatectomia torácica ter foco no tratamento do suor facial, axilar e palmar, sabe-se que pode haver uma redução (redução percentualmente indeterminada) no suor plantar em 42% dos casos. A satisfação com o resultado é de aproximadamente 97%.

9 - O que é suor reflexo?
Sudorese reflexa consiste no surgimento de suor em outra região após o procedimento cirúrgico. Pode ocorrer na região abdominal anterior, lombar, coxas e pernas e raramente nos pés. Ocorre em aproximadamente 50% dos casos e pode se apresentar em três graus de intensidade (leve, moderado e severo). Este efeito tem sido foco de diversos estudos e com novos critérios de indicação e técnica operatória, reduziram significativamente o número de casos de sudorese reflexa grave (aquela que provoca desconforto) para menos de 5%.

10 - Existe limite de idade para realização da simpatectomia?
Não. Mas o limite inferior sugerido é 10 anos e o superior é determinado pelo risco cirúrgico e doenças coexistentes.