SAÚDE NEWS

Entrevistas

Fôlego e superação


O triatlo é recente, tanto que entrou para as competições olímpicas apenas no ano de 2000. O treino, geralmente diário, pode durar de uma a várias horas, sendo que os exercícios são intercalados entre si durante os dias da semana. É um esporte que se destaca dos outros pela sua diversidade e grandes benefícios. A natação ajuda a fortalecer as articulações e massa muscular, principalmente, dos membros superiores, além de melhorar os sistemas cardiovascular e respiratório. No ciclismo estimulam-se os membros inferiores, desenvolvendo força muscular, bem como queima de gordura corporal. Também ajuda no bom funcionamento do cérebro. A corrida, por sua vez, gera grande gasto calórico, mas ao mesmo tempo, promove alívio do estresse e aumento da capacidade aeróbica. As três modalidades juntas são poderosas ferramentas para aumentar a resistência e melhorar as funções do organismo, promovendo saúde física e mental. Vire a página e conheça a rotina de uma médica apaixonada pela vida e que encontrou inspiração se aventurando no triatlo.


Conquiste uma vida mais saudável e feliz
Dentro da medicina, são diversas as especialidades e subespecialidades médicas, mas todas elas concordam e orientam que para conquistar uma vida mais saudável e satisfatória, é fundamental seguir alguns passos: check-up geral da saúde pelo menos uma vez ao ano; manter uma alimentação equilibrada contendo água, carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, fibras, sais minerais, entre outros, na medida certa; praticar atividades físicas que ajudam a reduzir o risco de infarto, pressão alta, diabetes, entre outras doenças; cuidar da saúde mental, cultivando bons relacionamentos, trabalhando com algo que se goste, não ter vícios, dormir bem e tirar férias de vez em quando. Mas será que os profissionais da área da saúde seguem essas dicas de ouro? A nossa equipe sondou, pesquisou e encontrou uma “mulher maravilha”. Sim, ela tem a força!
Doutora Silviane Pellegrinello Soares atua como médica há mais de 15 anos, sendo 11 diretamente dedicados à especialidade de endocrinologia, que cuida das doenças que afetam as glândulas endócrinas e os problemas hormonais. No consultório zela pela saúde de seus pacientes, preza pelo atendimento de qualidade e incentiva as pessoas a buscarem hábitos de vida mais saudáveis. Na vida pessoal, é esposa do oncologista e mastologista, Dr. Emerson Soares, a mãe amorosa da Malu (10 anos) e da Daniela (8); a filha do Darcy e da Graça e a nora do Aprigio e da Barbara. Tem uma irmã, a Ana Paula, quatro cunhados e muitos amigos. Não esquecendo, ela tem o Teddy (cachorro) e o Skol (gato), comentou aos risos!
Seu cotidiano é repleto de ação: levar e buscar as filhas na escola, ajudá-las nas tarefas de casa, fazer as compras no supermercado, atender no consultório, visitar os pacientes quando estão hospitalizados, participar de cursos e congressos para manter-se atualizada, viajar, almoços de família e, claro, encontros com as amigas! Mas Silviane não se contentou apenas com o empoderamento feminino de ser mãe, médica e bem-sucedida, ela é movida por muitos desafios!

O triatlo é um esporte para todos e oferece muitos benefícios à saúde
Em 2016 a endocrinologista ajustou o relógio para despertar às 5h30min da manhã e acredite, ela acorda com bom humor! Sua rotina foi readaptada para conciliar as atividades pessoais, profissionais e treinar um esporte que engloba três modalidades: natação, ciclismo e corrida – o triatlo.
O treino exige alta resistência e disciplina, mas para quem pensa que é complicado ou indicado somente para atletas profissionais se enganou! Sem receio, anime-se! Silviane é a prova disso: com apenas 1,58 de altura, 52 quilos e 39 anos, a médica “dá conta do recado”! Na categoria mais leve: nada 750 metros, pedala 20 km e corre mais 5 a 10 km. Atenção mulheres, num único dia de triatlo é possível perder até 900 calorias.
Qualquer pessoa pode praticar essa modalidade esportiva, desde que treine corretamente e, de preferência, com acompanhamento profissional para evitar lesões, fadiga extrema e repor as energias e gastos calóricos. Deve-se seguir orientações de endocrinologista, especialista em medicina do esporte, educador físico, entre outros especialistas.


“Organizo meu tempo e agendas. Acordo, geralmente, 5h30min da manhã, horário do meu primeiro treino. Em seguida tomo café e vou para o consultório. No intervalo do almoço, treino novamente. Depois, almoçamos em família, levo as crianças para escola e retorno ao trabalho. No fim da tarde, realizo meu último treino do dia. Viver é contagiante e o esporte para mim é prazeroso, pois ajuda a aliviar o estresse, aumenta a minha concentração e a sensação de bem-estar. Tenho dois personais que me orientam: Marcos Macedo e Aline Bessa. Eles são os responsáveis pelas minhas planilhas e simulados de treinos. Quanto aos cuidados com a saúde, eu programo o meu cardápio de alimentação e dietas, faço suplementação específica para cada atividade física e tomo vitaminas, antioxidantes, gel de carboidrato, waxymaize, palatinose e whey protein. Durmo em média sete horas por dia. Nos sábados e domingos intensifico os treinos, pois disponho de mais tempo. Sempre gostei muito de correr, corro há mais de 10 anos, por isso, é a modalidade que apresento melhor performance. Pedalar era esporádico, mas nadar, eu apenas sabia o básico como todo mundo. Muitas pessoas achavam que eu não iria conseguir conciliar tudo e, até comentavam que eu iria parar de trabalhar. Porém deu certo! Quero parabenizar todas as mães, com certeza são triatletas também. Pois para atingir meus objetivos eu não nego, tenho uma colaboradora que me ajuda nas atividades domésticas, meus pais e sogros estão sempre nos dando suporte e, acima de tudo, tenho um marido muito especial, que me apoia em tudo o que faço”, declara Dra. Silviane.


“A Silviane começou a correr e pedalar para me acompanhar, agora eu tenho que acompanhá-la! O esporte faz parte do que nós somos como casal, é um estímulo e um motiva o outro a continuar. É muito prazeroso, uma grande parceria”, relata o marido, Dr. Emerson Soares.



Um sonho
“Quero participar um dia do Ironman, considerado até o momento, como a maior prova de triatlo. É uma competição de mais de oitos horas de duração e de longas distâncias, aproximadamente 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida. No momento participo de competições menores para aprendizado e superar meus próprios limites. Para mim é mais difícil nadar. A corrida e o pedal você pode parar. A natação não, você tem que começar e terminar! Outro detalhe, nadar em piscina num local seguro, com água limpinha, onde você alcança o fundo é uma coisa, mas quando se trata de águas abertas, sujas, sem noção da profundidade rola uma tensão psicológica, sem contar os riscos.”


Aliados
Praticar exercícios, hoje, vai além da busca pela beleza, é uma forma de alcançar bem-estar e saúde. Seja malhando, caminhando ou correndo, os estudos revelam que aqueles que praticam atividade física com regularidade se tornam mais dispostos, bem-humorados e saudáveis. Uma dieta balanceada, com uma quantidade adequada de carboidratos, proteínas e uma menor quantidade de gorduras pode ser responsável por até 70% dos resultados para quem deseja obter um físico melhor. Tanto as pessoas que precisam emagrecer,quanto as que necessitam ganhar peso, devem começar pela alimentação. A orientação endocrinológica e metabólica também é uma forte aliada na busca de benefícios para o corpo e a mente.

Triatlo
• Trabalha o corpo todo fortalecendo os músculos;
• Desenvolve força, flexibilidade, coordenação e equilíbrio;
• Aumenta a capacidade aeróbica;
• Rotina de treinos que quebram a monotonia;
• Ideal para a perda de peso;
• Melhora os hábitos de alimentação;
• Mais energia para sua vida;
• Rejuvenesce;
• Promove saúde mental;
• Mais autoestima.




Dra. Silviane Pellegrinello Soares

CRM-PR 19219 / RQE 14042
Medicina na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) - 2001
Residência em Clínica Médica pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) - 2004
Residência em Endocrinologia e Metabologia no Hospital Evangélico de Curitiba - 2006
Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM), desde 2006