SAÚDE NEWS

Entrevistas

Atendimento exclusivo para a saúde do coração


Unidade Cardiovascular de Terapia Intensiva atende pacientes de Cascavel e região que necessitam de cuidados especiais após problemas coronários

O órgão que bombeia o sangue no organismo requer atenção e cuidado especial. Para atender os pacientes de urgência ou emergência cardiológicas, a Digicor e o Hospital Policlínica criaram em agosto de 2015 a primeira UCTI (Unidade Cardiovascular de Terapia Intensiva) de Cascavel. O local é totalmente equipado para casos que necessitam de cuidados avançados, garantindo um acompanhamento especializado. No setor, os pacientes tem monitorização intensiva, com equipe médica e de enfermagem disponíveis 24 horas, para cuidados exclusivos dos pacientes com patologias cardiovasculares.

SN - Qual a diferença do atendimento da UCTI comparado a uma UTI padrão?
UCTI -
Na UCTI, temos um perfil diferenciado de paciente em relação à UTI geral. Na configuração atual, não temos pacientes sedados ou em ventilação mecânica. Todos estão monitorizados, porém conscientes. Como as patologias são cardiovasculares, raramente algum paciente tem infecção associada e, desta forma, o risco de infecção hospitalar é mínimo.

SN - Quais as principais ocorrências que levam os pacientes a precisarem de atendimento especializado?
UCTI -
A principal patologia que atendemos é a síndrome coronariana aguda, com ênfase no infarto agudo do miocárdio, seguida de arritmias cardíacas. Porém, o setor tem estrutura para diagnóstico e tratamento de praticamente todas as urgências cardiovasculares. Visando o atendimento ágil e diagnóstico precoce de problemas, os especialistas da UCTI fazem no pronto-socorro o atendimento inicial de todas as dores torácicas. Assim, os pacientes recebem atendimento imediato na chamada “Unidade de Dor Torácica”. A partir desta avaliação os pacientes com indicação são trazidos à UCTI para tratamento especializado e quando indicado, são encaminhados prontamente para a realização de cineangiocoronariografia (cateterismo cardíaco).

SN - Qual a estrutura da unidade?
UCTI -
A UCTI possui atualmente cinco leitos de monitorização contínua, médico 24 horas, sendo grande parte da equipe formada por cardiologistas e intensivistas, equipe de enfermagem e atendimento de fisioterapia, bem como o suporte da equipe de hemodinâmica e cirurgia cardiovascular da Digicor. O Hospital Policlínica, em conjunto com a Digicor já possui projeto de ampliar a unidade para 10 leitos, mantendo o perfil humanizado com tratamento de alta complexidade. Para facilitar o atendimento e conforto da logística dos pacientes submetidos a procedimentos hemodinâmicos, a unidade encontra-se em frente à Digicor.

SN - Quais as tecnologias aplicadas no atendimento?
UCTI -
A unidade tem estrutura semelhante à UTI, sendo que todos os pacientes ficam continuamente monitorizados, de forma invasiva ou não, conforme indicado em cada caso, com acesso imediato a procedimentos hemodinâmicos e exames de investigação, como ecocardiograma, cateterismo cardíaco, entre outros.

SN - Como é feito o encaminhamento para a Unidade?
UCTI -
Alguns dos pacientes vêm para a UCTI após avaliação no pronto atendimento, tanto pela equipe de dor torácica quanto pelo plantonista do pronto-socorro. Outros são encaminhados por cardiologistas. Também fazemos o pós-operatório de procedimentos intervencionistas, como angioplastias e procedimentos vasculares.