SAÚDE NEWS

Matérias

Conteúdo

16/05/2019
Realize o seu exame toxicológico

Laboratório Alvaro

Para tirar, renovar ou adicionar à carteira de habilitação as categorias C, D e E, o motorista precisa realizar o exame que detecta substâncias ilícitas no organismo

Com o objetivo de aumentar a segurança no trânsito, o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) e a Lei Federal 13.103/2015 determinaram a exigência do exame toxicológico para os motoristas que irão adicionar ou renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) as categorias C, D e E. A regulamentação obriga a realização do teste para aqueles que já são habilitados e que estão interessados em mudar de categoria, independentemente de exercerem atividade remunerada ou não.
Os exames toxicológicos devem ser coletados por laboratórios previamente credenciados pelo Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN). De acordo com Carlos Henrique Gabardo, diretor do Laboratório Alvaro, credenciado para essa coleta, a medida é primordial para a prevenção de acidentes no trânsito. “O teste identifica hábitos e costumes em relação ao eventual consumo de drogas, detectando cinco grupos de substâncias: os barbitúricos, benzodiazepínicos, maconha, cocaína e anfetamina”, detalha.

DIAGNÓSTICO POR FIOS DE CABELO
O exame toxicológico é feito por meio de fios de cabelo ou pelos do corpo. “O teste também pode ser feito por diferentes amostras como a saliva, o sangue e a urina. Mas a amostra do cabelo é a que possibilita uma janela de detecção maior, ou seja, aponta a presença de uma substância em um período que varia de três meses a seis meses”, afirma Gabardo. “Essa medida permite a identificação, mesmo que tardia, diminuindo a chance de burlar o exame”, destaca.
São coletadas duas amostras de fios de cabelo ou pelos do corpo de no mínimo 4 centímetros, da raiz às pontas. O exame é feito em duas etapas, caso o resultado da primeira tenha sido positivo. “A primeira parte da amostra é analisada na fase de triagem, em que é identificada a presença ou não de drogas no material coletado. Quando não são localizadas substâncias, um laudo negativo é emitido. Caso contrário, a segunda parte da amostra será submetida à fase confirmatória, utilizando um equipamento de alta precisão para confirmar a positividade. Na sequência, será emitido um laudo com o resultado da análise, conforme os parâmetros da legislação”, detalha Jean Haratsaris, gerente nacional da Rede Labet Exames Toxicológicos.

Como não é necessário um pedido médico para realizar o exame, basta se dirigir à unidade escolhida, munido de documento original com foto (RG), e aguardar o atendimento por ordem de chegada. O resultado sai entre quatro e dez dias úteis e vai direto para o e-mail ou residência do motorista.

Responsável Técnico: Luciano Gustavo Savitski de Carvalho - CRF-PR 16120
Rua Pernambuco, 2450 - Coqueiral - CEP 85807-050 - Cascavel/PR - Fone: (45) 3224-7212 / 3038-7216 / 99972-4744 / 99931-8072
COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.