SAÚDE NEWS

Matérias

Conteúdo

15/01/2019
ONCOLOGIA VETERINÁRIA

A esperança de cura também para os pets

No mundo animal, assim como ocorre com os humanos, é cada vez mais comum o diagnóstico de tumores dentre as doenças graves. A notícia boa é que estudos e pesquisas na área da oncologia veterinária impulsionam a conduta médica, possibilitando oferecer aos pets condições de tratamento, bem-estar e esperança de sobrevida também em caso de câncer.

A “Saúde Animal” conta com profissionais e uma moderna estrutura voltada aos cuidados de bichinhos de estimação com neoplasias, garantindo tratamento completo.
“Embora mais incidente entre animais idosos [10 a 12 anos em diante], tumores também afetam os jovens [2 a 3 anos] e os de meia idade [8 a 9 anos]. A gama de possibilidades de diagnóstico e de tratamento, contudo, é grande”, explica o Dr. Naure Rodrigo Souza, especialista em cirurgia e clínica médica e cirurgia reconstrutiva oncológica de pequenos animais.


Incidência e Diagnóstico

Alterações dermatológicas estão entre os principais problemas que afetam os pets. As doenças de pele podem gerar tumores e evoluir para neoplasias cutâneas. Também há casos de neoplasias mamárias, testiculares, na boca (orais), todos com a possibilidade de diagnóstico e de recuperação. Depois da consulta clínica, o veterinário lança mão do diagnóstico por imagem (tomografia, ultrassom e raio-X), que complementa exames de sangue para identificar o tumor a ser tratado. Somente após a biópsia (laudo histopatológico), define-se a conduta médica. Nesse ‘estadiamento’, o paciente é avaliado como um todo.

Tratamentos
Alguns casos demandam tratamento cirúrgico, seguidos ou não de quimioterapia, a qual pode ser aplicada também antes da
 cirurgia, para diminuir o tumor (citorredução).
O pós-operatório ganha atenção especial.
Quando há perda significativa de tecidos, recorre-se à cirurgia reconstrutiva.

Phelps, um vencedor!
Aos oito anos de idade, Phelps foi acometido por um osteossarcoma (câncer ósseo). Agressivo, o tumor provocou aumento de volume na
região da face. Após cirurgia, quimioterapia e cirurgia reconstrutiva facial,o labrador está recuperado e já voltou a correr e brincar normalmente.

Fique atento ao seu pet:

Humanos e animais de estimação criam laços profundos, por isso é natural o temor diante da ameaça à saúde deles. Prevenir é o caminho.
Leve-o periodicamente ao veterinário. Caso note nódulos ao acariciá-lo, marque consulta fora da rotina.
Além de garantir o bem-estar do seu companheiro, a prevenção favorece o diagnóstico precoce e melhora o prognóstico com maiores possibilidades de cura.



 
Rua Pernambuco, 2450 - Coqueiral - CEP 85807-050 - Cascavel/PR - Fone: (45) 3224-7212 / 3038-7216 / 99972-4744 / 99931-8072
COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.