SAÚDE NEWS

Capa

Dez anos de transplante capilar com segurança e excelência


 
Em 2012, o projeto arquitetônico Ares - Centro Médico Hospitalar - começou a ser idealizado e a obra foi inaugurada em janeiro de 2015. O local foi criado com o objetivo de promover saúde e beleza. É um verdadeiro “Day Hospital” com alto padrão de qualidade nos serviços prestados e adequado para realização de cirurgias eletivas de pequeno e médio porte. Além do corpo clínico especializado, conta com uma equipe de colaboradores bem treinada e uma legião de pacientes satisfeitos. A infraestrutura é ampla e confortável: seis apartamentos, três salas cirúrgicas, cinco consultórios médicos, sete salas de procedimentos, salas de recepção, estacionamento e equipamentos modernos.




O caminho da excelência foi traçado “fio a fio”
Uma breve retrospectiva: Ares era apenas um sonho compartilhado por três casais: Dr. Miguel e Tatiana Bailak, Dra. Michele e Dr.
Fábio Toccolini, Dra. Luciana Bailak e Dr. Marcelo Santa Cruz. O sucesso e a excelência em transplante capilar não aconteceram por acaso, exigiu sacrifícios!

Os investimentos foram altos em equipamentos e cursos, dentro e fora do país, para aperfeiçoamento profissional.

A coragem da equipe aumentava “fio a fio” quando planejava uma estrutura específica para realizar os transplantes capilares que, até então, eram realizados em clínicas não próprias. Determinação, estudo e união foram os folículos saudáveis que decidiram implantar em suas rotinas de trabalho.

Depois foram extraindo as dificuldades e pouco a pouco conquistando seus objetivos. Mais tarde, outros profissionais foram entrando para o time do Ares.


Profissionalismo de médicos cascavelenses conquista Curitiba


Transplante capilar e tecnologia ARTAS® para todo o Paraná

O Ares - Centro Médico Hospitalar - atua em Cascavel com excelência nas áreas de dermatologia, fisioterapia, nutrição, anestesiologia, cirurgia plástica (reconstrutora e estética) e, principalmente, destaca-se como uma referência nacional em transplante capilar. Com visão empreendedora, o grupo acaba de firmar uma importante parceria entre o Ares e o Centro Especializado da Pele (Ceppelle). A união tem por objetivo disponibilizar transplantes capilares e tecnologia ARTAS® para todo o Paraná.

Com aproximadamente 500m², o Cepelle está localizado na Rua Vicente Machado, 1907, no Batel, em Curitiba. Sua estrutura permite tanto o atendimento clínico, quanto a realização de procedimentos cirúrgicos.


O cirurgião plástico Dr. Miguel Bailak e a dermatologista, Dra. Michele F. de Barros Toccolini são especialistas em transplante capilar e seguem padrões de qualidade internacionais. Os médicos que foram precursores em Cascavel da Técnica FUE (Extração de Unidades Foliculares), integram o grupo inicial de equipamentos robóticos da América Latina, bem como foram os primeiros no Paraná a utilizar o moderno Sistema ARTAS® para transplantes capilares.

O inteligente robô (adiante falaremos dele) já está instalado em Curitiba, possui liberação da ANVISA no Brasil, da FDA (Estados Unidos) e está em conformidade com a legislação europeia (CE). O ano de 2018 será muito promissor para Dr. Miguel e Dra. Michele e suas agendas serão divididas entre os atendimentos no Ares (Cascavel) e no Ares (Curitiba / anexo à clínica Ceppelle).

Mais do que estética, a saúde pessoal também requer atenção

 
Apesar de não terem uma função fisiológica vital, os cabelos são de grande importância para a saúde pessoal, pois estão relacionados com a aparência, personalidade e autoestima. A cor, o tipo de corte e a forma de penteá-los são maneiras que as pessoas encontram para demarcar parte de sua individualidade.

A perda dos cabelos, embora seja um processo natural do ser humano, causa grande desconforto e quando sua reposição não ocorre, desencadeia outro problema ainda mais grave: a calvície, motivo de preocupação de homens e mulheres em todo o mundo. Esta doença se manifesta pela diminuição parcial ou total dos cabelos e pode ser consequência de um ou vários fatores: herança genética, doenças capilares, distúrbios fisiológicos ou emocionais.

Em mais de 90% dos casos, a origem da calvície é genética (alopecia androgenética). Para os pacientes que possuem calvície moderada (entradas salientes) ou acentuada (até 50% da cabeça atingida) o tratamento terapêutico mais indicado é o transplante capilar.

 
Transplante capilar

O transplante capilar é um procedimento efetivo e permanente para corrigir a calvície masculina ou feminina. Também pode ser indicado no tratamento de falhas nas sobrancelhas, barba, bigode e demais regiões do corpo, bem como na reparação de sequelas por traumas e/ou queimaduras. É um procedimento cirúrgico no qual os folículos capilares de uma área doadora (mais densa e cheia de cabelos) são transferidos para uma área receptora (região calva). Tem sido uma das cirurgias mais realizadas em várias partes do mundo graças a evolução que a técnica recebeu nos últimos anos e devido a crescente procura de homens e mulheres em melhorar o aspecto da calvície. Quando o transplante capilar é realizado por equipes treinadas e especializadas como a equipe do Ares, obtém-se resultados mais naturais, além de procedimentos mais rápidos e acessíveis.

Modernas técnicas cirúrgicas

O cirurgião plástico Dr. Miguel Bailak e a dermatologista, Dra. Michele F. de Barros Toccolini completaram 10 anos de experiência na realização de transplantes capilares. Os especialistas mantêm-se atualizados e participam constantemente de encontros científicos, nacionais e internacionais, para acompanhar as tendências mundiais da cirurgia de transplante capilar. Para decidir qual é a técnica mais efetiva, o paciente passa por consultas, exames e uma rigorosa avaliação clínica que estuda a densidade de fios da área doadora, coloração, textura e forma do cabelo, evolução e estado da área calva, histórico familiar, idade do paciente, o estilo do penteado, entre outras peculiaridades. Com total habilidade, Dr. Miguel e Dra. Michele realizam três tipos de técnicas cirúrgicas, que são indicadas de acordo com as necessidades de cada indivíduo.
 
FUT: a técnica mais tradicional

O transplante capilar com a técnica FUT (Follicular Unit Transplantation) surgiu há cerca de duas décadas e meia. O procedimento consiste em um corte na parte posterior do couro cabeludo e dali retiram-se uma faixa e pequenas fatias. Em seguida, os exertos são microscopicamente preparados (unidades foliculares de 1 a 4 fios) pela equipe de técnicos cirúrgicos.

A vantagem desta técnica está na possibilidade de retirar um maior número de unidades foliculares (UF) por cirurgia (2.500 a 3.500 UF, ou seja, 5.000 a 10.000 fios por sessão). Porém, a desvantagem é que o corte provoca um desconforto maior durante a cicatrização e a cicatriz pode ficar aparente com o cabelo raspado.






FUE: a técnica que revolucionou o transplante capilar


A FUE (Follicular Unit Extraction) é uma técnica recente que entrou em vigor a cerca de 10 anos. Foi considerada uma revolução da era do transplante capilar, pois possibilita a extração de cada unidade folicular (1 a 4 fios) por meio de um instrumento circular (micropunch).

Os habilidosos médicos retiram fio a fio de maneira aleatória. A cada 5 ou 6 fios retira-se 1 para não deixar a àrea doadora com falhas. Depois, estes fios são preparados pelos técnicos e implantados pelo médico um a um na área doadora. A colocação dos fios é igual nos dois procedimentos, mas as vantages da FUE em relação a FUT são:
• Minimamente invasiva;
• Rápido período de cicatrização (os orifícios da retirada dos folículos têm em torno de 8mm de diâmetro);
• No terceiro dia os implantes já encontram-se praticamente cicatrizados;
• Menos desconforto e indolor;
• A cicatriz é menos aparente com o cabelo curto.

A técnica FUE pode ser aplicada em 2 a 3 sessões com intervalos de no mínimo 9 meses (dependendo da quantidade de UF retiradas por sessão). Um número seguro gira entre 4.000 a 6.000 UF, que equivale, aproximadamente a 15.000 fios no máximo. 

Etapas da técnica FUE
- O paciente chega pela manhã no Ares- Centro Médico Hospitalar e após sua recepção é encaminhado para sala de preparação;

- Em seguida, o médico inicia a marcação das áreas doadoras e das áreas receptoras. Desenha-se a linha anterior onde será definida a nova implantação capilar, de acordo com as características faciais de cada indivíduo;



- O paciente que já passou pela consulta pré-anestésica, é submetido à sedação profunda. Trata-se de uma técnica anestésica, de administracão endovenosa e executada pelo anestesiologista, que utiliza drogas específicas para o controle da dor, supressão da consciência, estabilização da pressão arterial e indução da amnésia durante o procedimento. Quando o paciente está em plano anestésico adequado o cirurgião faz um bloqueio loco-regional, com anestésico local, em todo sítio cirúrgico para evitar desconforto ou dor durante a cirurgia. Passado o efeito da sedação o paciente permanecerá sonolento, confortável, sem dor, contactuante e colaborativo para seguir com o procedimento;

 
- O paciente que já passou pela consulta pré-anestésica, é submetido à sedação profunda. Trata-se de uma técnica anestésica, de administracão endovenosa e executada pelo anestesiologista, que utiliza drogas específicas para o controle da dor, supressão da consciência, estabilização da pressão arterial e indução da amnésia durante o procedimento. Quando o paciente está em plano anestésico adequado o cirurgião faz um bloqueio loco-regional, com anestésico local, em todo sítio cirúrgico para evitar desconforto ou dor durante a cirurgia. Passado o efeito da sedação o paciente permanecerá sonolento, confortável, sem dor, contactuante e colaborativo para seguir com o procedimento;


- Depois da extração os técnicos, especializados em microscopia, preparam as unidades foliculares com lâminas de safira e bisturi sob a visão minuciosa do Mantis (um moderno microscópio de inspeção visual de alta resolução que proporciona imagens 3D extraordinárias);
 


- Nesta fase, o cirurgião realiza a implantação fio a fio na área receptora, preservando a naturalidade 
da linha anterior do cabelo. “Nesta etapa o importante é manter a inclinação e direção do fio, assim como a densidade adequada por centímetro quadrado. O cabelo é a moldura da face, por isso temos que reproduzir artisticamente as características exclusivas de cada paciente”, declara Dr. Miguel Bailak;
 


- Após o curativo compressivo o
paciente é encaminhado à suíte para repouso.




Pós-operatório

• Repouso de trabalho extenuante por 5 dias, período no qual ocorrerá a cicatrização da área doadora e fixação inicial dos fios na área receptora. Nesta fase podem ocorrer inchaços faciais;
• Retorno das atividades físicas em 15 dias;
• Exposição ao sol depois de 30 dias;
• O cabelo implantado possivelmente irá cair a partir de 3 semanas, mas as células germinativas permanecerão e iniciarão um novo crescimento capilar a partir de 3 meses;
• O resultado final é esperado a partir de 8 meses até 1 ano e meio no máximo.

 
 


Centro cirúrgico equipado com os mais avançados recursos tecnológicos e todos os requisitos técnicos para maior comodidade e segurança de médicos e pacientes. A equipe técnica é formada por quatro médicos especializados nas funções que desempenham: Dr. Miguel (cirurgião plástico), Dra. Michele (dermatologista), Dra. Luciana e Dr. Marcelo (anestesiologistas) e por profissionais capacitados em transplante capilar: sete técnicos de enfermagem e uma enfermeira. 
 




Robótica de precisão confere resultados ainda mais eficientes no transplante capilar

Em 2016, o Ares adquiriu o sexto Robô ARTAS® do Brasil, um equipamento moderno capaz de retirar vários fios de maneira automatizada e constante. O sistema robótico é assistido pelo médico licenciado, utiliza algoritmos inteligentes, imagem digital que mapeia coordenadas, analisa ângulos e direções para cada unidade folicular. O ARTAS® coleta entre 600 a 800 unidades folículares por hora, sendo que em média são necessários de 1,5 a 2 mil folículos para o procedimento. Além de facilitar o trabalho do cirurgião, a tecnologia garante resultados mais eficientes que preservam o aspecto natural da área doadora.
No Ares, o paciente é orientado pelo especialista em transplante capilar e tem a possibilidade de escolher qual a melhor técnica para o seu caso. FUT, se deseja maior número de fios e FUE, manual ou robótica, se almeja uma cicatrização mais rápida e menos aparente. Além disso, existem casos em que as duas técnicas (FUT e FUE) podem ser associadas tornando o transplante uma verdadeira megasessão de 3.000 a 4.500 UF (6.000 a 12.000 fios).
 
Dr. Marcelo Santa Cruz - Diretor Técnico Médico - CRM-PR 20517 / RQE 1154
 
Veja também:
A visão de uma história
Vitais para a sustentação, proteção e movimento
Doutor Carlos Alberto Rover é prata da casa
Na Clinia a celebridade é você